Trump defende isolamento social: ‘Fiquem em casa’

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2020 19h49 - Atualizado em 03/04/2020 19h49
EFE/EPA/OLIVER CONTRERAS"Isso acabará, não demorará muito", disse Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reafirmou nesta sexta-feira, 3, que é necessário manter a política de isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus. Além disso, informou que o Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês) do país divulgou nova diretriz sobre uso de máscaras, incentivando o uso delas pelo público em geral.

Trump afirmou que as pessoas que tiverem de sair de casa podem usar uma máscara ou mesmo algo improvisado, como um pano a ser posteriormente lavado. Segundo ele, porém, isso não substitui a necessidade de distanciamento pessoal. “Fiquem em casa, isso acabará, não demorará muito”, previu. O presidente comentou que a questão da máscara é uma recomendação não obrigatória do CDC e ele mesmo afirmou que não pretende usar máscara. A prioridade do presidente é garantir que os profissionais de saúde tenham acesso a esse equipamento. Além disso, ele orientou que o veto da exportações dos modelos N95, para garantir seu abastecimento pelo país.

O líder americano também comentou sobre a situação no Estado de Nova York, que “parece ser o foco principal agora” da doença no país. “Não pouparemos recursos para ajudar Nova York”, prometeu, citando o envio de respiradores e outros materiais às regiões mais afetadas. Ele também elogiou o trabalho dos governadores na luta contra a doença.

Trump mencionou os estudos em andamento na busca de um medicamento contra o coronavírus. Segundo ele, a hidroxicloroquina “parece ter bons resultados”. Ele prometeu continuar a informar sobre os desdobramentos dessas pesquisas. Na opinião de Trump, caso o medicamento se prove de fato eficaz, isso teria um grande impacto. “Vamos ver o que acontece”, comentou.

O vice-presidente Mike Pence também estava na coletiva. Pence disse que os casos de coronavírus nos EUA “seguem em ritmo constante, mas baixo”, contudo também enfatizou a necessidade de que a população americana adote medidas para reduzir sua transmissão.

* Com Estadão Conteúdo