Trump pede que Irã não mate manifestantes e alerta que os EUA ‘estão observando’

País persa registra protestos desde sábado, quando autoridades admitiram que a Guarda Revolucionária foi responsável pela queda do avião ucraniano

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2020 12h42
REUTERS/Kevin LamarqueTrump ainda reivindicou que o governo iraniano libere o acesso à internet e permita que jornalistas circulem livremente pelo seu território

O presidente Donald Trump enviou um alerta ao líderes iranianos na manhã deste domingo (12). “Não matem os seus manifestantes”, escreveu em sua conta no Twitter. Ele afirmou, ainda, que centenas de pessoas já foram mortas ou estão presas por causa do governo. “O mundo está observando e, mais importante, os Estados Unidos estão observando”, completou.

Trump ainda reivindicou que o governo iraniano libere o acesso à internet e permita que jornalistas circulem livremente pelo seu território.

O Irã registra protestos contra o governo desde sábado (11), quando autoridades admitiram que a Guarda Revolucionária foi a responsável pela queda de um avião ucraniano que provocou a morte de 176 pessoas na última quarta-feira. Segundo Teerã, o abate foi acidental.

Ontem, o embaixador do Reino Unido em Teerã, Rob Macaire, foi preso em uma das manifestações. A mídia oficial iraniana informou que ele é suspeito de “organizar, provocar e dirigir ações radicais”. No entanto, Macaire garantiu que não estava participando dos protestos, mas sim de uma vigília em homenagem às vítimas da queda da aeronave. “Saí depois de cinco minutos, quando alguns começaram a cantar palavras de ordens”, justificou.