UE comenta polêmica sobre desmatamento no Brasil: acordo com Mercosul ainda não está em vigor

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2019 11h55
Alan Santos/PRPorta-voz lembrou que países-membros precisam cumprir requisitos do Acordo de Paris

Depois do bate-boca entre o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricard Galvão, que culminou na exoneração do último, a Comissão Europeia (CE) lembrou nesta segunda-feira (5), que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia (UE), que ainda não entrou em vigor, prevê o cumprimento dos compromissos climáticos do Acordo de Paris.

“Lembramos que o acordo entre a UE e o Mercosul  ainda não está em vigor”, disse o porta-voz comunitário de Agricultura e Comércio, Daniel Rosario. Durante a entrevista coletiva diária da C, ele ressaltou que o acordo inclui um capítulo específico sobre desenvolvimento sustentável e que “tem provisões para que as partes respeitem os compromissos com o Acordo de Paris”.

“Esperamos que as partes o respeitem e se atenham a eles”, afirmou Rosario. A fala aconteceu a polêmica dos números do desmatamento no Brasil: depois de acusar Galvão de prejudicar a imagem do país divulgando dados mentirosos sobre a destruição da Amazônia, que teria aumentado 88% em junho deste ano, Bolsonaro demitiu o diretor, que continua defendendo que os dados do instituto estão totalmente corretos.

Questionado sobre o relatório, o porta-voz da CE disse que não iria comentá-lo, mas deixou claro que o acordo, que ainda não está vigorando já que acabou de ter a negociação encerrada e ainda precisa ser aprovado pelos parlamentos de cada país, tem entre seus objetivos “proteger o clima e evitar o desmatamento”.

*Com informações da Agência EFE