Vaticano anuncia que participará de negociações entre governo e oposição na Nicarágua

  • Por Jovem Pan
  • 06/03/2019 14h40 - Atualizado em 06/03/2019 14h48
Jorge Torres/EFERepressão aos protestos de 2018 deixou 325 mortos

O Vaticano anunciou que, na madrugada desta quarta-feira, 6, representantes da oposição e do governo da Nicarágua concordaram com as bases de uma negociação para pôr fim à crise política no país, que já dura um ano, com auxílio da Igreja Católica e evangélicos.

Segundo o núncio apostólico do Vaticano (representante diplomático permanente do Vaticano) na Nicarágua, Waldemar Sommertag, os religiosos serão testemunharão as conversas, mas não intermediarão as negociações.

A crise política na Nicarágua se intensificou depois que o presidente Daniel Ortega, no poder desde 2007, acusou manifestantes de planejar um golpe de Estado para derrubá-lo. As manifestações de insatisfação começaram contra uma reforma da previdência.

Nesse momento, a Igreja Católica tentava liderar um esforço de negociação, mas as conversas colapsaram com a repressão dos protestos, que deixou 325 mortos e 2 mil feridos no país.

O prazo para um acordo é o dia 28 de março. Um dos primeiros desafios será definir quais itens estarão na agenda de negociações. A oposição, reunida na coalizão Aliança Cívica, exige a libertação de presos políticos e uma reforma eleitoral que antecipe as eleições presidenciais, marcadas para 2021.

“Até agora, as negociações se desenvolveram em um clima de respeito mútuo e busca pelo entendimento”, disse Sommertag.

*Com informações do Estadão Conteúdo