Vaticano envia milhares de máscaras para a China para combate à disseminação do coronavírus

O papa acompanha de perto a evolução do vírus que já deixou 17 mil pessoas infectadas, segundo dados oficiais da China

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2020 18h12
Divulgação/Vatican NewsMáscaras são seladas com o escudo pontifício de Francisco

O Vaticano enviou centenas de milhares de máscaras para a China com o objetivo que sejam distribuídas entre a população e, assim, contribuir para “limitar a disseminação” do coronavírus, surgido na cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, e que já matou 361 pessoas.

Além de Hubei, as máscaras tiveram como destino as províncias chinesas de Zhejiang e Fujian, de acordo com informações do site de notícias da Santa Sé, Vatican News.

Trata-se de uma iniciativa conjunta da Esmolaria Apostólica, dedicada às obras de caridade do papa, e do Centro Missionário da Igreja chinesa na Itália, com a colaboração da Farmácia Vaticana. As máscaras são seladas com o escudo pontifício de Francisco.

O objetivo do Vaticano é ajudar as autoridades da China, país com o qual assinou em setembro de 2018 um acordo sobre a nomeação de bispos e teve início uma aproximação, uma vez que não mantém relações diplomáticas desde 1951.

O papa acompanha de perto a evolução do vírus que já deixou 17 mil pessoas infectadas, segundo dados oficiais da China.

No último dia 26 de janeiro, Francisco também pediu orações pelas pessoas afetadas por esta epidemia: “Que o Senhor acolha os mortos em paz, apaziguar as famílias e apoie o grande esforço já realizado para combater a epidemia”, disse.

*Com EFE