Venezuela anuncia compra de 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V

Nicolás Maduro afirmou que vacinação na Venezuela deverá começar nos três primeiros meses de 2021 e terá como foco moradores do país latino, independente da nacionalidade

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2020 20h27
EFE/ Rayner PeñaAnúncio foi feito por Nicolás Maduro

O ditador Nicolás Maduro afirmou nesta terça-feira, 29, que deve iniciar a imunização de moradores da Venezuela contra o novo coronavírus com doses da vacina russa Sputnik V nos próximos três meses. “Firmamos contrato para 10 milhões de doses da vacina Sputnik V. Elas serão distribuídas gratuitamente para toda a população que vive na Venezuela, seja colombiano, equatoriano, peruano, português ou italiano. Não vamos fazer como o bárbaro terrorista sanguinário Ivan Duque”, afirmou, criticando o presidente da colômbia pelo que considerou como “criminosa, nazista e xenófoba” a decisão de não vacinar imigrantes venezuelanos no país vizinho. Maduro lembrou da importância de se prevenir contra a doença usando máscaras e incentivando o distanciamento social. Por mais de uma vez, ele tentou enfatizar a suposta “legalidade” das eleições que os deixam no poder desde o ano de 2013. 

Em coletiva ao lado de prefeitos e governadores do país, Maduro alegou que a Venezuela faz “das tripas coração” ao longo da pandemia de coronavírus e disse aguardar que a fase 3 dos estudos da candidata russa seja finalizada no país para o início da aplicação no primeiro trimestre de 2021. “Nos próximos 90 dias, a Venezuela vacinará 10 milhões de compatriotas, priorizados por idade, por profissão e por nível de vulnerabilidade”, afirmou. Ele disse, ainda, que há quatro vacinas “promissoras” estudadas no país, entre elas, a de Cuba. Até o momento, segundo dados oficiais, o país de 28 milhões de habitantes teve 112,6 mil casos do novo coronavírus e 1 mil mortes registradas pela doença.