Venezuela: Guaidó diz que comando militar quer roubar ajuda humanitária

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2019 09h17
EFE"Recebemos a informação do círculo próximo do alto comando militar que já não estão mais avaliando se deixam ou não entrar, mas como fazer para roubá-la", disse Guaidó

Juan Guaidó, chefe do Parlamento que se autoproclamou presidente interino da Venezuela em meio ao controverso regime de Maduro, denunciou, nesta segunda-feira, que recebeu informações de que o alto comando militar do país está avaliando como “roubar” a ajuda humanitária que foi solicitada a outros países.

“Recebemos a informação do círculo próximo do alto comando militar que já não estão mais avaliando se deixam ou não entrar, mas como fazer para roubá-la”, disse em entrevista coletiva.

O líder opositor apelou, nesse sentido, para a “consciência” dos militares, ressaltando que é “para salvar vidas”.

“Os senhores têm grandes contingentes (de medicamentos) em armazéns em Charallave – perto de Caracas – que se está perdendo, que estão vencendo”, acrescentou.

Guaidó, que no último sábado anunciou a criação de uma “coalizão nacional e internacional” de ajuda humanitária para a Venezuela com pontos de coleta no Brasil, Colômbia e em uma ilha do Caribe não revelada, disse que nas próximas horas a comissão encarregada de coordenar este apoio oferecerá detalhes da distribuição.

Ele reiterou que nos próximos dias anunciará uma mobilização para pedir aos militares que permitam essa ajuda à Venezuela.

O presidente Nicolás Maduro voltou nesta segunda a recusar apoio humanitário para seu país no meio da severa crise econômica que ocasiona escassez de alimentos e remédios e disse que a oposição, que impulsiona esta assistência com outros países, precisa de “ajuda mental”.

*Com Agência EFE.