Venezuela veta entrada de ex-presidentes que apoiaram voto popular de domingo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/07/2017 08h54
Miguel Gutiérrez/EFENo Twitter, Moncada disse que a decisão era "uma medida de profilaxia política" e rechaçou a ingerência internacional na política local

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Samuel Moncada, anunciou que os ex-presidentes Jorge Quiroga, da Bolívia, Andrés Pastrana, da Colômbia, Laura Chinchilla e Miguel Ángel Rodríguez, da Costa Rica, e Vicente Fox, do México, não terão mais o direito a entrar no país. O motivo para a isso é que eles atuaram como observadores na consulta popular realizada pela oposição venezuelana no domingo

No Twitter, Moncada disse que a decisão era “uma medida de profilaxia política” e rechaçou a ingerência internacional na política local. Segundo o chanceler, as ex-autoridades de outros países presentes na consulta popular “abusaram da generosidade do nosso povo”.

O governo venezuelano afirma que a consulta popular do domingo não teve nenhuma legitimidade, enquanto a oposição quer aproveitar a expressiva votação contra a Assembleia Constituinte e o governo do presidente Nicolás Maduro para pressionar por uma transição política.