Vice-presidente dos EUA não descarta fazer contato com Pyongyang durante Jogos de Inverno

  • Por Agência EFE
  • 06/02/2018 11h06
EFE EFE "Eu não solicitei uma reunião, mas vejamos o que acontece", disse Pence a jornalistas

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, não fechou a porta a manter contato com representantes da Coreia do Norte durante sua visita aos Jogos Olímpicos de Inverno em PyeongChang, na Coreia do Sul.

“Eu não solicitei uma reunião, mas vejamos o que acontece”, disse Pence a jornalistas ontem à noite durante uma escala da sua viagem para a Coreia do Sul na base militar de Elmendorf-Richardson do Alasca (EUA).

Pence iniciou nesta terça-feira uma viagem de seis dias a Japão e Coreia do Sul com o objetivo de liderar a delegação americana nos Jogos de PyeongChang.

Durante os Jogos se encontrará com o presidente honorário da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, com quem se tinha especulado que podia ter algum tipo de contato.

Tanto Pence como Kim assistirão nesta sexta-feira à recepção oficial para governantes da abertura dos Jogos.

Em suas declarações a jornalistas no Alasca, Pence disse que sua mensagem “será a mesma”, independentemente “do momento ou de quem esteja presente”.

“E será que a Coreia do Norte deve abandonar de uma vez por todas seu programa de armas nucleares e suas ambições com mísseis balísticos (…) e entrar na família das nações “, declarou o vice-presidente americano.

“A Coreia do Norte pode ter um futuro melhor que a via militarista, da provocação e da confrontação na qual está. Melhor para sua própria gente, melhor para a região e melhor para a paz”, acrescentou.

Segundo informou a Casa Branca, Pence viaja para a Coreia do Sul na companhia de Fred Warmbier, o pai de Otto Warmbier, um americano que morreu em junho do ano passado após retornar em coma da Coreia do Norte, onde esteve preso durante mais de um ano.

“Fred aceitou ser seu convidado, assim que estará nos Jogos Olímpicos, sentado junto ao vice-presidente e sua esposa”, afirmou um funcionário.

Dessa forma, Pence planeja comparecer a PyeongChang com a advertência de que a “propaganda” da Coreia do Norte nos seus esforços de distensão com o Sul não deveria distrair o mundo da sua “deplorável situação de direitos humanos”, segundo explicou o mesmo funcionário.