Zelensky pede à UE mais artilharia após interceptação de mísseis russos contra Kiev

Exército da Rússia anunciou, por sua parte, que os alvos foram “centros de decisão, bases logísticas e pontos de mobilização temporária” das forças ucranianas

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2024 15h33 - Atualizado em 21/03/2024 15h35
Sergei Chuzavkov/AFP Rússia ataca Ucrânia Os ataques na capital ucraniana e sua região deixaram 17 feridos, 13 na capital e quatro nas imediações de Kiev

A Ucrânia anunciou ter derrubado 31 mísseis russos lançados nesta quinta-feira (21) na direção de Kiev, no maior ataque contra a capital do país nas últimas semanas, depois que Moscou prometeu vingança contra os bombardeios ucranianos nas regiões fronteiriças da Rússia. Após os ataques na capital ucraniana e sua região, que deixaram 17 feridos, o presidente Volodimir Zelensky pediu mais uma vez aos aliados ocidentais que enviem mais sistemas antiaéreos, no mesmo dia de uma reunião de cúpula da UE em Bruxelas que examinará o apoio militar do bloco a Kiev. Um bombardeio subsequente na cidade de Mykolaiv, no sul, deixou uma mulher morta e seis pessoas feridas após atingir uma área industrial, informou a agência de serviços de emergência ucraniana.

“Este terror prossegue dia e noite”, afirmou Zelensky em uma mensagem no Telegram. Mas “é possível acabar com isso com a unidade global”, acrescentou. “A Ucrânia precisa desta proteção agora. De Kiev a Kharkiv, de Sumy a Kherson, de Odessa à região de Donetsk. É completamente possível se os nossos aliados demonstrarem vontade política suficiente”, insistiu. “Todos os mísseis foram derrubados na região de Kiev”, afirmou a Força Aérea ucraniana, que explicou que entre os projéteis russos estavam dois mísseis balísticos Iskander e 29 mísseis de cruzeiro. A unidade de inteligência militar da Ucrânia afirmou que os mísseis estavam direcionados contra suas instalações na capital, informou a mídia local citando um porta-voz.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

“Todos os objetivos” alcançados

Segundo as autoridades ucranianas, os destroços dos mísseis deixaram 17 feridos, 13 na capital e quatro nas imediações de Kiev. O Exército da Rússia anunciou, por sua parte, que os alvos foram “centros de decisão, bases logísticas e pontos de mobilização temporária” das forças ucranianas. Um comunicado militar afirma que “todos os objetivos” foram alcançados.

Zelensky publicou um vídeo que mostra janelas de edifícios residenciais destruídas e escombros nas ruas, com os bombeiros tentando controlar focos de incêndio. Os assentamentos perto do front também sofreram ataques. Duas pessoas morreram por bombardeios russos nas regiões de Kherson (sul) e de Donetsk (leste), informaram as autoridades locais ucranianas.

O ministro ucraniano das Relações Exteriores, Dmitro Kuleba, pediu ao Congresso dos Estados Unidos para “salvar vidas” com a liberação de 60 bilhões de dólares de ajuda a Kiev, uma verba bloqueada há vários meses devido às disputas políticas entre democratas e republicanos.  Os dirigentes europeus se reúnem nesta quinta-feira e na sexta-feira em Bruxelas para debater a melhor maneira de ajudar a Ucrânia e, ao mesmo tempo, como reforçar a defesa do bloco.

Putin promete vingança

Este foi o primeiro grande ataque contra Kiev e a sua região desde o início de fevereiro e aconteceu depois que a Ucrânia intensificou os bombardeios nas regiões de fronteira da Rússia, em particular Belgorod.  Nesta região, um bombardeio ucraniano deixou cinco feridos na quinta-feira. “Na cidade de Belgorod, mais de 30 apartamentos e seis edifícios residenciais foram atingidos por um bombardeio das Forças Armadas ucranianas”, afirmou o governador regional, Viacheslav Gladkov, no Telegram.

Ele divulgou imagens que mostram fachadas destruídas e janelas quebradas em blocos de apartamentos. O presidente Vladimir Putin disse na semana passada, após uma série de ataques de drones, foguetes e artilharia de Kiev contra o território russo, que “os ataques do inimigo não ficarão impunes”. Ele prometeu restaurar a “segurança” nas zonas fronteiriças e insistiu que a Rússia tem “um plano” para conquistar a vitória contra Kiev. O FSB (Serviço Federal de Segurança) anunciou na quinta-feira a detenção de um cidadão russo em Belgorod acusado de preparar “atos terroristas contra o Exército”.

O homem seria integrante do Corpo de Voluntários Russos, uma milícia pró-Ucrânia que reivindicou incursões em território russo na semana passada, segundo a imprensa estatal. Na linha de frente, as forças russas continuam avançando lentamente, contra um Exército ucraniano cada vez mais desgastado devido à falta de homens e munições. A Rússia reivindicou nesta quinta-feira a captura da localidade de Tonenke, ao oeste de Avdiivka, uma cidade da frente leste que as tropas de Moscou ocuparam no início deste mês, após uma longa batalha.

*Com informações da AFP

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.