Naufrágio de balsa no litoral do Iêmen deixa 24 imigrantes etíopes mortos

  • Por Agencia EFE
  • 29/12/2014 16h28

Sana, 29 dez (EFE).- Pelo menos 24 imigrantes etíopes morreram após o naufrágio da balsa na qual viajavam pela costa do Iêmen, no Mar Vermelho, informou nesta segunda-feira o Ministério iemenita do Interior em comunicado.

A Guarda Costeira encontrou ontem os corpos de 24 imigrantes na zona de Al Suaida, perto do porto de Al Maja.

Na nota, o Ministério assegurou que continua com os trabalhos de identificação dos corpos e tentando localizar sobreviventes na zona.

Este é o segundo naufrágio no litoral iemenita em menos de um mês, já que muitos imigrantes africanos utilizam o Iêmen como ponto de passagem rumo a países do Golfo Pérsico e Europa.

Em 6 de dezembro, pelo menos 70 pessoas de nacionalidade etíope morreram afogadas após o afundamento da barca na qual viajavam no litoral de Al Maja, por causa dos fortes ventos e das ondas.

Segundo as estatísticas anunciadas pela Agência de Refugiados da ONU, Acnur, desde o começo deste ano até outubro, morreram pelo menos 205 imigrantes africanos afogados em naufrágios, em sua maioria produzidos por aglomeração nas barcas.

Mais de meio milhão de pessoas efetuaram nos últimos cinco anos a travessia desde os países do chamado Chifre da África rumo ao Iêmen, em uma rota pela qual aspiram a chegar aos ricos países do Golfo Pérsico, segundo Acnur.

Pelo geral se trata de somalis, eritreus e etíopes que tentam atravessar as águas do Golfo de Áden e o Mar Vermelho até o Iêmen em embarcações precárias, frequentemente dirigidas por traficantes de pessoas que não duvidam em lançar aos passageiros pela borda para evitar ser detectados ou capturados. EFE