Naufrágio na Sicília, tem ao menos 75 imigrantes desaparecidos segundo a ONU

  • Por Agencia EFE
  • 02/07/2014 12h54

Roma, 2 jul (EFE).- Ao todo 75 imigrantes desapareceram depois do naufrágio da embarcação na qual viajavam junto com outras 27 pessoas, que foram resgatadas pela marinha militar italiana e chegaram ontem ao porto siciliano de Catânia, informou nesta quarta-feira a Agência de Refugiados das Nações Unidas (UNHCR).

Segundo o testemunho dos resgatados referido por UNHCR, um total de 75 pessoas se encontram a essas horas desaparecidas nas águas do Canal do Sicília depois que naufragasse sua barcaça, em circunstâncias que se desconhecem e que estão sendo investigadas pelas autoridades italianas.

Na manhã de hoje, a marinha militar informou que são 45 os imigrantes que morreram por asfixia, em 30 de junho, a bordo de um barco no qual viajavam junto com outras 566 pessoas procedentes do norte da África rumo à costa da Sicília.

Os cadáveres e os outros 566 imigrantes ilegais desembarcaram hoje no porto de Pozzallo (Sicília), após ser socorrido pela Armada italiana há dois dias, quando foi informado, então, que os mortos eram 30.

A UNHCR lamenta “com profunda dor essa nova tragédia” e alerta que, neste ano, cerca de 500 imigrantes e refugiados morreram no Mar Mediterrâneo, sempre segundo dados da organização.

Por isso, pede aos governos que iniciem medidas que garantam a admissão por razões humanitárias de refugiados e facilitem seu acesso em condições de segurança. EFE