Náufrago chega ao Havaí e seu retorno para El Salvador dependerá de sua saúde

  • Por Agencia EFE
  • 11/02/2014 00h42

San Salvador, 10 fev (EFE).- O náufrago salvadorenho José Salvador Alvarenga, que afirma ter sobrevivido após mais de um ano à deriva no oceano Pacífico, deve voltar amanhã para seu país depois de ter chegado nesta segunda-feira ao Havaí, mas seu retorno vai depender de sua saúde, informaram autoridades do Ministério das Relações Exteriores de El Salvador.

“Esperamos que ele (Alvarenga) retorne ao país amanhã”, mas “seu retorno e seu voo dependem de seu estado de saúde”, disse hoje em entrevista coletiva o chanceler salvadorenho, Jaime Miranda.

O funcionário não adiantou detalhes sobre o voo, nem o possível horário de chegada de Alvarenga, o que, insistiu, depende das avaliações médicas, além do fato de o náufrago e sua família terem pedido “privacidade”.

Alvarenga já está em Honolulu, no Havaí, após ter deixado as Ilhas Marshall, onde permaneceu por vários dias após seu resgate, informou na entrevista coletiva o vice-chanceler para cidadãos salvadorenhos no exterior, Juan José García.

O vice-chanceler explicou que Alvarenga será submetido a exames médicos em Honolulu, dos quais dependerá a autorização para a viagem até a costa oeste dos Estados Unidos, mas não informou qual será a cidade, onde também será avaliado por uma equipe médica antes de retornar para El Salvador.

Segundo a imprensa salvadorenha, Alvarenga poderia seguir de Honolulu para Los Angeles e dali para San Salvador.

Miranda destacou que, assim que chegar a El Salvador, Alvarenga ficará à disposição do Ministério da Saúde do país para novas avaliações médicas, e que fará declarações para a imprensa somente “se ele estiver disposto”.

O vice-chanceler García informou que o náufrago viaja com um passaporte provisório e que os Estados Unidos lhe deram um visto de passagem para que “fique nos Estados Unidos pelo tempo necessário para que possa retornar a El Salvador”.

O náufrago, um pescador de 37 anos, apareceu na semana passada em um recife das Ilhas Marshal.

O pescador zarpou do México no final de 2012 em uma expedição para pescar tubarões nos mares de El Salvador junto com um companheiro que, segundo Alvarenga, morreu alguns meses depois em alto-mar.

Devido a uma tempestade, os dois foram levados para longe do litoral e ficaram à deriva no Pacífico.

No dia 30 de janeiro de 2014, o barco reapareceu em um recife perto de Ebon, um remoto atol das Ilhas Marshall, onde os aldeões encontraram Alvarenga e tiveram problemas para se comunicar com ele porque só falava espanhol.

Alvarenga disse que tinha sobrevivido por tantos meses em alto-mar bebendo o sangue de tartarugas, quando faltava água da chuva, e comendo também aves e peixes que capturava com as mãos.

Fotos divulgadas pelo canal local havaiano “KHON2” mostram hoje Alvarenga barbeado, com chapéu e boa aparência a bordo do avião que o levou até Honolulu. EFE

lam/rpr