“Nenhum ato de terrorismo vai mudar o que somos”, diz Obama

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2016 15h14
Barack Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, falou na tarde deste domingo (12) após o massacre que vitimou ao menos 50 mortos e deixou outros 53 feridos em Orlando, na Flórida (EUA).

“O que está claro é uma pessoa cheia de ódio. Nos próximos dias vamos saber porque isso aconteceu e ter mais detalhes (…) Um assassino foi a uma boate onde as pessoas foram se divertir (…) Nenhum ato de terrorismo vai mudar o que somos e o que nos faz americanos”, disse.

Obama alertou para a grandiosidade do incidente e relembrou que este é o dia que marca o pior assassinato da história do país. O presidente destacou ainda a facilidade que os americanos têm no porte de armas. “Isso é para nos lembrar como é fácil uma pessoa colocar a mão em uma arma e atirar em pessoas. temos que decidir se este é o tipo de país onde queremos estar”.

O presidente norte-americano pediu ainda que a sociedade continue orando pelas vítimas e suas famílias. “Que Deus dê a eles a força para lidar com o insuportável e que nos dê forças para mudar. Precisamos demonstrar que nós somos um país mais pelo jeito que vivemos do que por quem tirou a vida deles (…) Diante do ódio e da violência, vamos amar uns aos outros. Vamos nos manter unidos como americanos”, finalizou.

Confira o pronunciamento de Obama abaixo:

Tiroteio

Um homem abriu fogo dentro de uma boate gay em Orlando, nos Estados Unidos, e matou cerca de 50 pessoas e deixou ao menos 53 feridos. O suspeito foi identificado pelos oficiais como Omar Mateen, um cidadão norte-americano de Fort Pierce, na Flóridda. Ele tinha 29 anos e segundo o FBI ele tinha tendências pró-radicalismo islâmico.

O ato considerado terrorista pelas autoridades americanas teve início por volta das 02h local (3h em Brasília), quando o agressor fez reféns no clube Pulse, de Orlando.

A boate chegou a publicar uma mensagem em sua página no Facebook pedindo que todos saíssem do local com urgência. “Everyone get out of pulse and keep running”, diz a postagem.

Omar Mateen e Estado Islâmico

Segundo o canal NBC News, pouco antes de efetuar o ataque, Omar Mateen ligou para os serviços de emergência (911) e declarou lealdade ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

De acordo com veículos de imprensa americanos, as autoridades têm registrada uma chamada de Mateen na qual declarou sua lealdade ao grupo terrorista.