Netanyahu avisa que ofensiva em Gaza pode continuar até setembro

  • Por Agência EFE
  • 24/08/2014 06h23

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, deixou entrever neste domingo que a atual ofensiva militar contra a Faixa de Gaza se prolongará ainda vários dias, já que Israel não conseguiu ainda seus objetivos.

Em declaração no início da reunião dominical do gabinete, o chefe do governo, advertiu à população que esteja preparada para a possibilidade de os ataques continuarem além do início do ano escolar, previsto em Israel para a primeira semana de setembro.

“Peço a todos os moradores de Gaza que desalojem todo lugar de ondo o Hamas realiza sua atividade terrorista. Cada um desses lugares é um alvo para nós”, afirmou Netanyahu.

A declaração foi feita entre uma nova intensificação dos bombardeios israelenses sobre a Faixa e apelos da comunidade internacional para que termine o conflito no qual já morreram mais de 2.105 palestinos, 75% civis e uma quarta parte deles crianças.

No sábado, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ligou para Netanyahu para pedir-lhe que retornasse à mesa de diálogo no Egito e negociasse uma cessação permanente das hostilidades que abra o caminho a um processo mais ambicioso, colocando um fim no conflito entre palestinos e israelenses com base na ideia dos dois estados.

Horas depois, o Ministério das Relações Exteriores egípcio emitiu um comunicado no qual voltava a pedir a todas as partes a aceitar “um cessar-fogo permanente” e a retomar as negociações indiretas no Cairo.

O movimento islamita Hamas respondeu, no entanto, que só aceitará um acordo que inclua todas suas exigências, em particular que a cessação das hostilidades coincida com o levantamento do assédio militar e o bloqueio econômico à Faixa.