“Ninguém está propondo grafitar o Municipal”, contesta Haddad

  • Por Jovem Pan
  • 12/02/2015 12h54

Depois da polêmica desta semana com o "Hugo Chávez" grafitado no Arcos do JânioArcos do janio

Em sua participação no Jornal da Manhã, da Rádio Jovem Pan, o prefeito Fernando Haddad (PT) respondeu às criticas que tem recebido depois que um grupo de artistas grafitou o monumento conhecido como “Arcos do Jânio”, localziado na Avenida 23 de Maio e foi construído na década de 1920. “Nós consultamos a CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) e as paredes são pintadas todo mês. Nós quisemos liberar para fazer um experimento. Depois pode ser pintado com é feito desde 1937”, respondeu.

Haddad enfatizou que a capital tem muitos habitantes que não frequentam museus e que o grafite pode ser o primeiro contato com a arte, “ninguém está propondo grafitar o Teatro Municipal. Chamamos os grafiteiros e eles propuseram grafitar o muro de arrimo, não os tijolos”.

Sobre a polêmica de que um dos artistas teria pintado o rosto do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, Haddad retrucou que a prefeitura não censura. “Colocam em dúvida a palavra dele só porque é um grafiteiro, isso é desrespeito. Se ele diz que quis retratar um homem negro, não há porque colocar em dúvida” e concluiu “ele não tem nenhuma razão pra mentir. Se fosse o Mandela, o John Lenon, ele pinta. É problema é dele.”