No voo de volta da Terra Santa, Francisco fala sobre pedofilia e celibato

  • Por Agencia EFE
  • 26/05/2014 20h35

Cidade do Vaticano, 27 mai (EFE).- Na viagem de volta da Terra Santa a Roma nesta segunda-feira, o papa Francisco afirmou que não tolerará os abusos a menores por parte de religiosos e assegurou que o celibato “não é um dogma”.

Um sacerdote que comete esse tipo de ato contra menores “trai o corpo do Senhor”, declarou o pontífice, que anunciou que na próxima semana realizará uma missa no Vaticano com a presença de oito vítimas de pedofilia, segundo a agência italiana “Ansa”.

“Sobre isto tem que haver tolerância zero”, afirmou o papa aos jornalistas durante o voo que o trouxe de volta da Terra Santa, onde realizou uma visita oficial de três dias.

“Não há privilégios neste assunto dos menores”, garantiu o papa, que no último mês de abril pediu perdão pela primeira vez em nome da Igreja Católica pelos casos de religiosos envolvidos em abusos contra crianças.

Além disso, Francisco lembrou que o celibato não é um “dogma de fé” na Igreja Católica, que há sacerdotes casados nos ritos orientais e que “a porta está sempre aberta” a tratar o assunto.

No entanto, o pontífice esclareceu que “neste momento há outros temas sobre a mesa”.

“O celibato não é um dogma de fé, é uma regra de vida, que eu aprecio muito e acho que é um presente para a Igreja”, considerou o papa argentino. EFE