Novo corredor de ônibus provoca desapropriação de imóveis em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 12/09/2014 12h24

O corredor de ônibus da Radial Leste terá túnel e vai provocar desapropriação de imóveis no trecho entre Vila Matilde e Itaquera. A prefeitura obteve a licença ambiental e o início das obras está previsto para o mês que vem, com expectativa de conclusão em dois anos.

O projeto prevê a construção de um túnel para os coletivos entre os Viadutos Alcântara achado e Nakajima, na chegada ao Parque Dom Pedro. O corredor será o primeiro que seguirá o modelo de BRT, no qual, o pagamento da tarifa é feito antes do passageiro entrar no veículo.

A expectativa é que a obra reduza a superlotação na linha-3 Vermelha do Metrô, facilitando o acesso da Zona Leste à região central da cidade. O diretor de desenvolvimento de projetos da SP Obras, Ricardo Pereira da Silva, explicou por que a Radial será alargada a partir do Metrô Vila Matilde.

*Ouça os detalhes no áudio

Ainda não há uma definição sobre quantos imóveis serão desapropriados na Radial, que passará a ter três faixas de rolamento após o alargamento. O engenheiro especialista em trânsito e transporte, Horácio Figueira, afirmou a Anderson Costa ser necessária a interligação com o Metrô.

O corredor da Radial vai custar cerca de R$ 650 milhões e terá 17 quilômetros de extensão, com áreas de ultrapassagem entre os veículos. Além da Radial Leste, haverá corredores nas avenidas Aricanduva, Líder e Itaquera até a chegada ao Metrô Carrão.