Novo julgamento de Mursi por fuga da prisão começará em 28 de janeiro

  • Por Agencia EFE
  • 02/01/2014 18h19

Cairo, 2 jan (EFE).- O julgamento do deposto presidente do Egito Mohammed Mursi e de outras 130 pessoas acusadas de fugir da prisão durante a revolução de janeiro de 2011 começará em 28 de janeiro no Tribunal Penal do Cairo, informou a agência oficial de notícias egípcia “Mena”.

As acusações contra Mursi e o resto dos processados apontam que, durante o ataque e saque das prisões foram assassinados mais de 50 policiais e internos, além de quatro agentes sequestrados.

Mursi estava detido na prisão de Wadi Natrun, ao noroeste do Cairo, durante a revolução que derrubou o regime de Hosni Mubarak entre janeiro e fevereiro de 2011, mas conseguiu escapar graças ao caos que reinava nos centros penitenciários.

Durante estes dias, além de membros da Irmandade Muçulmana, do grupo palestino sunita Hamas e do xiita libanês Hezbollah, conseguiram escapar mais de 20 mil presos comuns, no meio de um suposto plano para “propagar o caos” no Egito, segundo as autoridades do país.

Trata-se do terceiro caso pelo qual Mursi é julgado. Ele deverá responder também perante a justiça por revelar informação reservada a países e organizações estrangeiras, como o Hamas, e pelo assassinato de manifestantes durante a dissolução de protestos contra o Palácio Presidencial em dezembro de 2012.

Desde a destituição de Mursi em 3 de julho, ocorreram detenções dos dirigentes da Irmandade Muçulmana, organização à qual as novas autoridades declararam “terrorista”. EFE