Número de mortes em acidentes no carnaval foi o menor dos últimos 11 anos

  • Por Agencia EFE
  • 06/03/2014 14h43

Durante o carnaval 155 pessoas morreram em 3.201 acidentes nas estradas federais brasileiras, a menor taxa dos últimos 11 anos, informou nesta quinta-feira a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com os dados divulgados pela PRF, a taxa de fatalidade em acidentes durante o carnaval de 2014 foi de 1,9 morte para cada um milhão de veículos que circularam pelas estradas, abaixo das 2 mortes em 2013, quando o índice já tinha sido o menor em uma década.

Isso representa uma queda de 6% na taxa de mortes, segundo a PRF, que também lembrou que a frota de veículos do país saltou de 76,9 milhões em fevereiro do ano passado para 82,5 milhões em março deste ano.

O recorde de mortes nas estradas federais foi em 2004, quando a polícia rodoviária começou a medi-la. Foram 4 mortes para cada um milhão de veículos.

O indicador leva em conta a crescente frota de veículos no país e as mortes registradas nas estradas operadas pelo governo federal, e não inclui as registradas em estradas estaduais e em vias secundárias.

Os números incluem os acidentes registrados desde sexta-feira da semana passada, quando o início oficial do carnaval coincidiu com a viagem de milhões de turistas, até a quarta-feira de cinzas.

Levando em conta o aumento da frota de veículos do país, a taxa de acidentes baixou 9% no carnaval deste ano em relação ao de 2013, e o número de feridos 16%.

Apesar da redução da violência no trânsito medida em taxas relativas, o número absoluto de mortes nas estradas se manteve praticamente estável, caindo de 157 para 155.

O número de acidentes nas estradas federais subiu de 3.149 no carnaval do ano passado para 3.201 nos últimos seis dias e o número de feridos de 1.793 em 2013 até 1.823 em 2014.

Segundo a diretora geral da PRF, Maria Alice Nascimento, a principal causa dos acidentes neste carnaval voltou a ser a imprudência dos motoristas. 406 foram detidos por dirigir sob efeito do álcool.

Outros 1.650 motoristas foram multados por ter ingerido bebida alcoólica e dirigir.