“O comportamento do governador do Acre foi totalmente irresponsável”, diz Alckmin

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2014 19h43

Durante o novo programa Jovem Pan, Os Pingos nos Is, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin criticou a vinda que ele chamou de “irresponsável” de centenas de haitianos que entraram no Brasil pelo estado do Acre e foram enviados em ônibus ao Estado paulista.

Alckmin diz que foi pego “totalmente de surpresa” com a chegada dos imigrantes. “Não recebemos nenhum comunicado, informação ou aviso prévio nem do Governo do Acre nem do Governo Federal, que é responsável pela migração do visto de entrada, do visto de permanência, da carteira de trabalho”, diz, afirmando ainda desconhecer oficialmente a informação divulgada de que mais quinhentos imigrantes do Haiti estariam chegando já neste próximo fim de semana.

O governador garantiu ainda que “Eloisa Arruda (secretária estadual de Justiça e Defesa da Cidadania) já se comunicou com o ministro José Eduardo Cardozo, que aliás me ligou hoje agora no final da tarde, e nós vamos ter uma conversa para poder estabelecer os critérios, enfim, fazer um trabalho correto e adequado”.

Sobre Eloisa, que foi processada pelo governador do Acre, Tião Viana (PT), por injúria e difamação, Alckmin diz: “Se há alguem comprometida com a causa humanitária é a secretároia Eluisa Arruda”, citando trabalho feito por ela no Timor Leste de ajuda aos necessitados.

Sobre as condições nas quais vieram os haitianos para São Paulo, Alckmin diz: “É uma violação absurda até da dignidade das pessoas. Não se pode fazer isso sem a menor programação, sem o menor cuidado”. O governador garante também: “Nós temos toda a disposição de colaborar e de ajudar, mas é preciso fazer uma coisa organizada”.

“Está no nosso DNA ser um estado sem preconceito, aberto, cosmopolita, multirracial, agora o que nós não podemos fazer é irresponsabilidade”, afirma Alckmin.

“Agora o comportamento do governador do Acre foi totalmente irresponsável”, conclui o líder do Estado de São Paulo.

Outro lado

Procurado pela Jovem Pan, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo preferiu não conceder entrevista ao vivo, mas enviou nota por meio do Ministério da Justiça. Nela, o ministério lembra que o Brasil tem emitido vistos de permanência em caráter humanitário nos últimos três anos, “e promove ações de apoio aos haitianos que chegam ao País”.

O documento também afirma que o Estado do Acre recebeu desde 2012 remessas de R$4,2 milhões para assistência social e R$1,3 milhão para serviçoes de Saúde. O Governo Federal garante também “garantir documentação básica de forma simplificada e imediata, como registro, CPF, carteira de trabalho e cadastro no Sistema Nacional de Emprego.

A nota diz ainda que “o Brasil não tem histórico de deportação em massa”. O Governo afirma ainda “estar ampliando em mais de 5 mil vagas a capacidade de acolhimento em diversos Estados e Municípios em todo o País”.

Reinaldo Azevedo contesta o posicionamento do Ministério da Justiça conforme pode ser ouvido no áudio ao lado.