Obama aborda violência no Iraque com Biden e parlamentares do país asiático

  • Por Agencia EFE
  • 23/01/2014 05h08

Washington, 22 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, compareceu nesta quarta-feira na reunião do vice-presidente Joseph Biden com uma delegação de parlamentares iraquianos para tratar a situação no Iraque, que registrou um aumento na violência desde que grupos extremistas ligados à Al Qaeda ganharam força com o início da guerra civil na Síria.

Nesse encontro, que contou com a participação do porta-voz do Conselho de Representantes Iraquianos, Osama Al Nujaifi, os dois países ratificaram “a importância estratégica” de sua cooperação na luta contra o terrorismo, informou nesta quarta-feira a Casa Branca em comunicado.

A reunião de hoje acontece depois que vazou no dia 17 de janeiro a informação que os Estados Unidos preparam o envio de uma carga de armamentos e munição para o governo iraquiano para ajudá-lo a fazer frente à crescente ameaça de grupos radicais islâmicos vinculados à Al Qaeda.

Esses grupos aumentaram sua força desde o início da guerra civil na Síria, que estenderam sua influência no Iraque, onde chegaram a controlar a cidade de Faluja.

Um dos temas tratados na reunião de hoje foi a integração das milícias tribais nas estruturas de segurança do Iraque que lutam contra os extremistas.

Obama pediu aos parlamentares iraquianos que mantenham o diálogo para solucionar os “pedidos legítimos de todas as comunidades no processo político”.

Além disso, o líder americano transferiu mais uma vez o apoio dos EUA ao Iraque na luta contra os grupos extremistas, assim como contra qualquer outra forma de terrorismo.

Helicópteros e artilharia das forças iraquianas bombardearam posições rebeldes, mas sem conseguir subjugar as milícias islamitas, o que coloca em dúvida a capacidade do Iraque para fazer frente às novas ameaças depois da saída das tropas americanas no final de 2011. EFE