Obama agradece o trabalho da diretora do Serviço Secreto após sua renúncia

  • Por Agencia EFE
  • 01/10/2014 18h58

Washington, 1 out (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou nesta quarta-feira para a diretora do Serviço Secreto, Julia Pierson, que acaba de apresentar sua renúncia, para agradecer seus mais de 30 anos de serviço, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

“Pierson apresentou sua renúncia porque pensa que é o melhor que pode fazer pela agência à qual dedicou sua carreira. O secretário (de Segurança Nacional, Jeh Johnson) está de acordo com essa decisão, e o presidente (Obama) também”, afirmou Earnest em sua entrevista coletiva diária.

Johnson anunciou hoje que aceitou a renúncia de Pierson devido à confirmação de vários erros no trabalho do corpo encarregado da segurança do presidente americano, entre elas a entrada de um intruso no interior da Casa Branca no último dia 19 de setembro.

“Nesta tarde, o presidente (Obama) teve a oportunidade de telefonar para a diretora Pierson e expressar seu agradecimento por seu serviço à agência e ao país”, declarou Earnest.

“Ela dedicou mais de 30 anos de sua vida ao Serviço Secreto dos Estados Unidos e ao importante trabalho que fazem”, acrescentou o porta-voz, que assegurou que Obama segue tendo uma “grande confiança” no trabalho desse corpo de segurança.

No entanto, “nos últimos dias, houve vários relatórios recentes que colocam perguntas sobre o desempenho da agência e o presidente concluiu que se necessita uma nova liderança nessa agência”, sustentou Earnest.

Por sugestão de Obama, Johnson designou como diretor interino do Serviço Secreto Joseph Clancy, que se retirou dessa agência em 2011, mas chegou a ser um agente especial “a cargo da divisão de proteção de presidentes”, segundo o secretário de Segurança Nacional.

Earnest indicou que não há uma data estabelecida para nomear um substituto permanente de Pierson.

Johnson também anunciou hoje a abertura de uma investigação independente sobre o incidente de 19 de setembro e outros problemas de segurança no cordão presidencial e que um grupo de trabalho deverá entregar antes de 15 de dezembro sua avaliação e recomendações no relativo à segurança da Casa Branca.

Esse grupo também deverá enviar sugestões de possíveis novos diretores do Serviço Secreto e estudar se é necessária uma investigação mais ampla sobre essa agência federal. EFE