Obama discute crise do Sudão do Sul com líderes regionais

  • Por Agencia EFE
  • 27/07/2015 08h07

Nairóbi, 27 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, terá nesta segunda-feira em Adis-Abeba uma reunião multilateral com os líderes de Etiópia, Quênia, Sudão, Uganda e da União Africana para discutir a crise do Sudão do Sul e os problemas de terrorismo que afetam esta parte do continente.

O encontro faz parte da agenda de Obama em sua visita oficial a Etiópia, país que recebe pela primeira vez um presidente americano.

Daqui a menos de um mês, em 17 de agosto, vence o prazo estabelecido pela Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (Igad) – o bloco de países da África Oriental que é mediador da crise – para que o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o líder rebelde, Riek Machar, cheguem a um acordo.

No entanto, fontes da Casa Branca expressaram pessimismo devido à “indiferença” mostrada até agora pelos líderes sul-sudaneses “para com seu país e para sua gente”.

O conflito começou em dezembro de 2013, e desde então dezenas de milhares de pessoas morreram e mais de um milhão foram obrigadas a abandonar suas casas.

Representantes de Kiir e Machar negociam há mais de um ano e meio em longos encontros em diferentes cidades africanas sem terem conseguido chegar a um acordo.

Antes deste encontro, o presidente dos Estados Unidos se reunirá com o primeiro-ministro etíope, Hailemariam Desalegn, com quem dará uma entrevista coletiva conjunta.

A visita à Etiópia, um país muito questionado internacionalmente em direitos humanos, é a segunda e última etapa da viagem de Obama à África, que este fim de semana esteve no Quênia, onde nasceu seu pai.

Obama fará amanhã um discurso na União Africana, se tornando o primeiro presidente americano que se dirige a esta instituição. EFE