Obama visita Mesquita Nacional de Kuala Lumpur em viagem pela Ásia

  • Por Agencia EFE
  • 26/04/2014 23h57
SHS04. Kuala Lumpur (Malaysia), 27/04/2014.- US President Barack Obama (C) along with Malaysia's National Mosque Grand Imam Sheikh Ismail Muhammad (R) and an unidentified official pay respect at the Heroes' Mausoleum during his visit to the National Mosque, in Kuala Lumpur, Malaysia, 27 April 2014. Obama is the first US President to visit Malaysia as part of an Asian tour to forge alliances in more than three decades since former President Lyndon Johnson in 1966. (Malasia) (EEUU, Estados Unidos) EFE/EPA/SHUKRI ISMAIL/POOLObama visita Mesquita Nacional de Kuala Lumpur em viagem pela Ásia

Kuala Lumpur, 27 abr (EFE) – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou neste domingo a Mesquita Nacional de Kuala Lumpur como parte de sua viagem pela Ásia (que também inclui Japão, Coreia do Sul e Filipinas) a fim de reforçar sua presença na região.

Na agenda de Obama, que chegou no sábado a bordo do Air Force One procedente de Seul, também foram incluídos um almoço de trabalho com o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, uma entrevista coletiva e um encontro com jovens estudantes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean).

Ao finalizar este encontro, o presidente deve se reunir com representantes da sociedade civil da Malásia.

Grupos de direitos humanos, como Human Rights Watch e Anistia Internacional, pediram a ele que se reúna com o líder da Oposição malaia, Anwar Ibrahim, que apelou de uma condenação por sodomia em processo qualificado de perseguição política.

A bordo do avião presidencial, o conselheiro adjunto de Segurança Nacional da Casa Branca, Ben Rhodes, afirmou que Obama está comprometido com o processo democrático na Malásia, mas que não costuma se reunir com os líderes opositores em viagens oficiais.

No entanto, Rhodes disse que a conselheira de Segurança Nacional da Casa Branca, Susan Rice, se reuniu com Anwar para mostrar que os EUA têm uma relação “aberta” com a Malásia.

“Apoiamos o processo político na Malásia. Apoiamos o aumento das práticas democráticas na Malásia. E estamos preocupados quando vimos restrições no espaço público ou qualquer esforço para limitar as atividades da sociedade civil”, declarou Rhodes.

“E isso é certamente algo que o presidente mencionará em seus comentários”, acrescentou.

Nesta viagem que começou na quarta-feira passada, o presidente estreitou laços com Japão e Coreia do Sul, históricos aliados, e abordou a segurança marítima na região, submetida às tensões com a China, assim como as ameaças da Coreia do Norte e, também, a crise na Ucrânia.

Segunda-feira, Obama viajará para as Filipinas, onde terá um encontro com o presidente, Benigno Aquino, e na terça-feira termina seu tour e retorna a Washington.