Objetivo é o resfriamento dos tanques e contenção de vazamentos, diz capitão dos Bombeiros sobre incêndio em Santos

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2015 15h19
Bombeiros prosseguem no esforço para apagar incêndio em Santos

Em entrevista a Jovem Pan, o capitão do Corpo de Bombeiros, Marcos Palumbo relatou que os 118 homens do grupamento vêm desempenhando grandes esforços para a contenção do incêndio em Santos, que chega ao sexto dia nesta terça-feira (07).

O incêndio provocou, inclusive, o bloqueio de uma das entradas de Santos para os caminhões, acarretando em grandes filas na estrada. Nesta segunda-feira (06), os bombeiros conseguiram extinguir uma das chamas que atinge os tanques, no entanto, devido a vazamentos na parte inferior, este voltou.

Palumbo disse que o objetivo agora é o “resfriamento do tanque, conter o vazamento e transferir de um dique para outros a água e combustíveis lá contidos”. Desta forma, eles visam conter o fogo que persiste há mais de 120 horas.

Sobre a utilização de espuma química, o capitão explicou que ela será utilizada de “maniera cirúrgica”. “Temos 9 mil litros dessa espuma especial, ela vai quebrar as partículas dos hidrocarbonetos, principalmente da gasolina e impede o contato do oxigênio com o combustível. Ela faz o resfriamento. Na hora que atacar o tanque com essa espuma, depois de conter o vazamento, ela vai acabar com o fogo e em seguida jogamos mais espuma para ver se conseguimos conter as chamas”, explicou.

O Corpo de Bombeiros segue captando água do canal do Porto e cerca de 83 mil litros/segundo de água algada são utilizados para conter as chamas, o equivalente a cerca de 5,5 milhões de litros em uma hora.

O capitão não deu previsões sobre o término do incêndio, mas destacou, mais uma vez, o trabalho dos bombeiros no combate ao fogo.

*Ouça a entrevista completa no áudio acima