OLP protesta na UE contra visita do embaixador tcheco a colônia judaica

  • Por Agencia EFE
  • 15/01/2014 14h46

Jerusalém, 15 jan (EFE).- A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) informou nesta quarta-feira que enviou uma carta de protesto à alta representante de Política Externa e de Segurança da União Europeia, Catherine Ashton, contra a visita do embaixador tcheco, Tomás Pojar, a um assentamento judaico na Cisjordânia.

Em comunicado, a OLP informa que na carta, datada de segunda-feira, expressa sua profunda preocupação com a recente presença de Pojar na Universidade de Ariel, que fica na colônia do mesmo nome.

O negociador-chefe palestino, Saeb Erekat, advertiu que a visita do embaixador tcheco solapa os esforços e o apoio dos 28 países da UE ao processo de paz e à solução de dois Estados, dando legitimidade à ocupação israelense.

A visita de Pojar “aconteceu um dia antes de Israel desafiar a UE e a comunidade internacional anunciando 1.400 novas unidades de casas em assentamentos, incluindo 40 novas em Ariel”, diz a carta.

Erekat ressalta que o fato aconteceu um mês depois de os ministros das Relações Exteriores da UE repudiarem de forma unânime a contínua expansão de assentamentos realizada por Israel.

Paralelamente, o palestino solicita a Bruxelas que “desaprove publicamente a visita do embaixador à Universidade de Ariel e adote as ações apropriadas para garantir que representantes da UE e de seus Estados-membros não enfraquecem os consideráveis e estimados esforços da União para apoiar a solução de dois Estados”.

A OLP lembra que o assentamento judaico de Ariel está situado sobre 1.500 hectares do território ocupado palestino da Cisjordânia, cerca de 20 quilômetros ao leste das fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, de 1967. EFE