OMS diz que métodos tradicionais de combate ao zika não estão funcionando

  • Por Agência Estado
  • 09/03/2016 12h42
Combate à dengue é intensificado no Carnaval Agentes da Prefeitura realizam a nebulização de larvicida em 80 pontos próximos a locais de aglomeração de foliões. 3.200 áreas críticas são monitoradas pela Saúde desde outubroA pulverização de inseticidas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quarta-feira que o tradicional método de pulverizar inseticida não teve impacto significativo sobre o avanço da dengue, o que significa que sua eficácia contra o zika vírus, transmitido pelo mesmo mosquito, também pode ser questionada.

Durante um evento para apresentar as conclusões de um estudo sobre o zika, a vice-diretora-geral da OMS, Marie-Paule Kieny, afirmou que “faltam evidências” de que os métodos clássicos de combate ao mosquito tiveram efeito em reduzir os casos. O mesmo se aplica ao zika vírus, disse.

Os pesquisadores também se questionaram se o uso de técnicas inovadoras, como a introdução de mosquitos geneticamente modificados, podem ser necessárias para evitar o surto. Eles disseram, no entanto, que o uso de tais ferramentas deve ser avaliada com “extremo rigor”.

No mês passado, o OMS declarou que o surto de zika nas Américas era uma emergência global. Fonte: Associated Press.