Oncologistas defendem que garotas sejam prioridade em vacinação contra HPV

  • Por Jovem Pan
  • 18/03/2014 09h08

A eficiência da vacina contra HPV em meninos para prevenir câncer de cabeça e pescoço é desconhecida, e oncologistas defendem que garotas sejam prioridade. O debate surgiu nas últimas semanas depois que a imunização das adolescentes entre 11 e 13 anos foi incorporada ao calendário nacional.

No ano que vem, as meninas de 9 a 11 anos também vão receber a dose com o objetivo de evitar tumores no colo de útero. Falando a Thiago Uberreich, o oncologista Ricardo Caponero avaliou que não existe nenhuma pesquisa que comprove a eficiência da vacinação nos garotos.

Caponero acrescentou que evitar o fumo é a melhor forma de prevenir o câncer de cabeça e pescoço. O chefe do serviço de Oncologia da Beneficência Portuguesa, Fernando Maluf, concordou e questiona a eficiência da vacina para meninos.

Para o oncologista Fernando Maluf, um teste com meninos seria muito caro e os resultados só apareceriam a longo prazo. No caso das mulheres, a Organização Mundial da Saúde estima que quase 300 milhões são portadoras do HPV.

O vírus pode ser contraído por meio de relação sexual, no contato direto com peles ou mucosas infectadas, e também no momento do parto. A vacina será oferecida até o final do ano em 36 mil postos de saúde, escolas públicas e privadas do país.