ONG de David Haines denuncia “assassinato odioso”

  • Por Agencia EFE
  • 14/09/2014 09h35

Acted, a ONG francesa na qual o britânico David Haines trabalhava em um campo de refugiados na Síria, disse estar “horrorizada” pelo anúncio de sua decapitação pelo grupo jihadista Estado islâmico, “um assassinato odioso”.

Em comunicado, a Acted afirmou estar “profundamente comovida e horrorizada pelo assassinato odioso de David Haines, que condenamos com a maior força”.

Haines, de 44 anos, tinha sido capturado há um ano e meio quando trabalhava para Acted no campo de refugiados de Atmeh, junto à fronteira turca.

A ONG ressaltou que todos o apreciavam, “em particular por sua generosidade, seu compromisso e seu profissionalismo”, e acrescentou que seu assassinato atenta contra os princípios humanitários, mas não isso desviará seu trabalho com povoações que sofrem.

A organização concluiu que “este crime bárbaro não pode ficar impune”.

A ONG quis se unir à dor dos parentes do voluntário, antigo militar, que tinha acabado de se integrar na Acted quando foi sequestrado.