ONU pede uma “imprensa livre” para desafiar o status quo

  • Por Agencia EFE
  • 03/05/2015 13h52

Nações Unidas, 3 mai (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ressaltou neste domingo a importância de uma “imprensa livre” que possa desafiar o status quo e ofereça esperança para os que têm suas vozes silenciadas no mundo todo.

“Necessitamos entender que a informação não deve ser somente universal, mas também livre para desafiar o status quo e dar uma esperança àquelas vozes silenciadas pela censura da corrupção, pela violência, pela intimidação e pelas represálias”, disse Ban em comunicado.

Por conta do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, o principal responsável das Nações Unidas chamou todos os governos a defender a livre troca de informação e ideias, a garantir a segurança dos jornalistas e a proteger seus direitos.

“Ao redor do planeta, os jornalistas são atacados a cada dia quando tratam de fazer seu trabalho. Só no ano passado, 61 jornalistas foram assassinados”, apontou Ban.

O diplomata coreano lembrou que muitos outros estão presos ou são vítimas de governos que usam o poder para intimidar a imprensa.

Ban se referiu, além disso, às mudanças houveram na imprensa através das novas tecnologias e destacou que, embora o meio digital é usado frequentemente a favor do ódio e da violência, permite também uma “conversa global” sobre como melhorar o mundo.

A ONU lamentou que blogueiros e jornalistas digitais enfrentam muitas vezes represálias e ressaltou a necessidade de que tanto estes novos meios como os tradicionais representem toda a sociedade.

Neste sentido, Ban denunciou que as mulheres seguem vendo negado o papel que deveriam ter no âmbito da comunicação. EFE