Paes diz estar convicto de que cidade terá segurança eficiente nos Jogos

  • Por Agencia EFE
  • 22/05/2015 15h25

(Corrige título, lead)

None

Rio de Janeiro, 22 mai (EFE).- O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, declarou nesta sexta-feira, durante o fórum Efe Café da Manhã, estar convicto de que a cidade terá uma segurança eficiente durante os Jogos Olímpicos de 2016 e defendeu que a Guarda Municipal continue a ter um papel complementar ao das polícias, sem o uso de armas.

Paes frisou que a segurança melhorou significativamente na capital fluminense nos últimos anos e, inclusive, não é motivo de preocupação por parte do Comitê Olímpico Internacional (COI).

“Estamos permanentemente preocupados com a segurança no Rio de Janeiro, em reduzir os índices de criminalidade e com o futuro da cidade, mas não em garantir segurança em um determinado momento”, afirmou Paes, destacando que a cidade organizou nos últimos anos diversos eventos internacionais sem nenhum incidente.

“Não perco um minuto da vida pensando na segurança durante as Olímpiadas”, acrescentou, reforçando sua convicção.

Paes também disse não ser favorável ao uso de armas por parte da Guarda Municipal, mesmo diante dos mais recentes episódios de violência urbana no Rio.

“A Guarda tem um papel complementar ao papel da PM. Ela usa cassetete, tem o papel de controle da ordem pública, mas não tem como ir contra alguém que mata, que dá tiro. Precisa do auxílio da polícia. É uma parceria”, argumentou.

“Sempre fui contra armar a Guarda Municipal e continuo sendo. Não precisa botar mais gente com arma na rua, precisa de gente com mais inteligência. Não precisamos de mais uma policia”, ressaltou.

Eduardo Paes foi o convidado da oitava edição do fórum organizado pela Agência Efe, no qual falou também sobre as transformações urbanísticas, econômicas e sociais da cidade que receberá os Jogos Olímpicos de 2016.

O evento, que nesta ocasião teve patrocínio do grupo multinacional Indra e da biblioteca virtual Nuvem de Livros, foi realizado no hotel Windsor Atlântica, em Copacabana, e contou com uma plateia de empresários, jornalistas, políticos e convidados especiais.

Na edição anterior do Efe Café da Manhã, a última de 2014, o convidado foi o ex-ministro de Saúde Alexandre Padilha, que na época era candidato do PT ao governo de São Paulo.

No primeiro semestre de 2014, o convidado foi o presidente do PT, Rui Falcão, que na ocasião defendeu a proposta para que Lula voltasse a ser candidato presidencial em 2018.

Em maio de 2013, no primeiro café da manhã da Efe, a convidada foi a ministra de Fomento da Espanha, Ana Pastor, e no segundo, a ex-senadora e presidenciável Marina Silva.

Em seu primeiro ano, o fórum também contou com a participação do senador Lindbergh Farias, então presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, e do ex-governador de São Paulo e ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos.

Outro café da manhã organizado pela Agência Efe no Brasil teve como convidado o espanhol Juan José Hidalgo, presidente do Grupo Globalia, que apresentou durante o evento a rota Madri-São Paulo da companhia aérea Air Europa, no final de 2013. EFE