Pais de criança morta por crocodilo não devem ser indiciados, diz xerife

  • Por Estadão Conteúdo
  • 16/06/2016 11h15
Disney

Os pais da criança, de dois anos, que foi morta por um crocodilo, em um resort dentro do complexo da Disney, na Flórida, não deverão ser indiciados, afirmou, nesta quinta-feira (16), o xerife do condado de Orange, Jerry Demings.

Não há sinais de que Will e Melissa Graves cometeram crime que possa ter contribuído para o acontecido, disse Demings, “em termos de negligência, não há nada neste caso que indique algo extraordinário”, disse.

Ele acrescentou que a polícia e a agência ambiental do Estado estão estudando a implantação de placas de aviso ao redor do lago Seven Seas, onde a Disney havia colocado apenas avisos proibindo o mergulho.

Um representante da Disney, que não quis se identificar porque a companhia ainda não preparou um comunicado formal sobre o assunto, referiu que a empresa iria “rever completamente” a questão das placas no futuro. As praias ficaram fechadas durante as investigações.

Mergulhadores encontraram o corpo da criança após 16 horas de busca. Ao que parece, o crocodilo afogou o garoto de dois anos e deixou o corpo perto do local onde foi atacado. Uma autópsia deve ser feita.

“Claro que a família estava perturbada, mas acredito também que ela ficou aliviada em encontrar seu corpo intacto”, pontuou a equipe de buscas.