Pais de crianças abusadas por sacerdote ficam satisfeitos com confissão

  • Por Agencia EFE
  • 22/03/2015 21h52

Santiago (República Dominicana), 22 mar (EFE).- Os pais dos menores que foram abusados sexualmente pelo sacerdote polonês Alberto Gil em Juncalito, província de Santiago, no norte da República Dominicana, se mostraram neste domingo satisfeitos com a decisão do religioso de se declarar culpado das acusações durante seu julgamento em Varsóvia, na Polônia.

Os pais disseram que sua consciência começa a ficar tranquila ao perceberem que finalmente se fará justiça neste caso.

Ramón Peralta, pai do primeiro dos menores que denunciou os abusos do sacerdote, que dirigia a paróquia de Juncalito, afirmou que os parentes dos adolescentes, vítimas dos abusos, confiam nas justiças dominicana e polonesa.

Além disso, assegurou que tudo indica que o padre “pagará pelo que fez, e isso devolve um pouco da tranquilidade para nossas famílias”.

Os pais de muitos dos menores que sofreram os abusos sexuais do padre Gil os enviaram a Santiago para protegê-los dos comentários, das conjecturas e dos olhares de muitas pessoas da comunidade.

Só o filho de Peralta decidiu permanecer no lugar, por isso membros da Igreja Católica formaram grupos que orientam os moradores a evitarem piadinhas e comentários pejorativos contra eles, porque isso os transformam em vítimas duas vezes.

O julgamento do sacerdote, acusado de abusar de seis jovens durante sua etapa na República Dominicana, e de outros dois menores em seu país antes de partir para o Caribe, começou em 20 de março, e já na semana passada ele se declarou culpado dos crimes. EFE