Palestinos enviam equipe a Praga para investigar explosão em embaixada

  • Por Agencia EFE
  • 02/01/2014 17h19

Ramala, 2 jan (EFE).- O Ministério das Relações Exteriores da Palestina enviou a Praga uma equipe de especialistas em segurança para investigar as causas da explosão que ontem matou o embaixador na República Tcheca, Jamal al-Jamal, e as alegações de que na casa do diplomata havia um arsenal de armas de procedência ilegal.

“Uma equipe da segurança palestina se dirige a Praga para investigar com o governo tcheco as circunstâncias do incidente”, disseram nesta quinta-feira à Agência Efe fontes do ministério, que asseguraram que o embaixador era um diplomata “diligente ao serviço de seu país”.

Jamal morreu ontem por uma explosão, aparentemente acidental, quando manipulava um cofre com um dispositivo de segurança.

Hoje, a Polícia tcheca confirmou que na casa acharam grandes quantidades de armas de procedência ilegal.

Consultado pela Efe, o Ministério das Relações Exteriores Palestino se limitou a dizer que “qualquer nova informação sobre a embaixada em Praga está sendo investigado” e que “não têm uma informação clara sobre a existência das armas”.

O fato abriu espaço para rumores nos círculos oficiais palestinos, onde se conjetura diversas possibilidades.

Um exaltado funcionário, que pediu não ser identificado, explicou à Efe que “as embaixadas palestinas por todo o mundo têm proibido acumular armas” e que, “levando em conta que não estavam registradas, o Ministério deveria investigar se o embaixador Jamal estava envolvido em negócios pessoais”. EFE