Papa viajará a Israel, Palestina e Jordânia em maio

  • Por Agencia EFE
  • 05/01/2014 09h59

Cidade do Vaticano, 5 jan (EFE).- O papa Francisco anunciou neste domingo que viajará a Israel, Palestina e Jordânia de 24 a 26 de maio, em uma peregrinação que o levará a Belém, Jerusalém e Amã.

Com um “clima de alegria típico deste tempo natalício”, o pontífice fez o anúncio da viagem durante a habitual oração do Ângelus dominical, na praça de São Pedro, no Vaticano.

“O objetivo principal é comemorar o histórico encontro entre o papa Paulo VI e o patriarca (de Constantinopla) Atenágoras, que aconteceu exatamente em um dia 5 de janeiro, como hoje, há 50 anos”, explicou Francisco.

“Os períodos serão três: Amã, Belém e Jerusalém. Perante o Santo Sepulcro realizaremos um encontro ecumênico com todos os representantes das Igrejas cristãs de Jerusalém, junto com o patriarca Bartolomeu de Constantinopla. Desde agora, lhes peço que rezem por esta peregrinação”, acrescentou.

Esta será a segunda grande viagem internacional de Francisco como pontífice – a primeira foi a vinda ao Brasil por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2013.

A peregrinação à Terra Santa repete também a feita por seu antecessor, Bento XVI, de 8 a 15 de maio de 2009, quando o agora papa emérito visitou Jordânia, Jerusalém, Belém e Nazaré.

Francisco será o quarto papa a viajar à Terra Santa, após os passos também de João Paulo II, que o fez de 20 a 26 de março de 2000 e, o próprio Paulo VI, cuja viagem aconteceu de 4 a 6 de janeiro de 1964.

O papa Francisco sempre declarou que suas prioridades, após a viagem ao Brasil, eram visitar Terra Santa, Ásia e África, antes de voltar à América Latina, uma possibilidade que tem em mente, sobretudo, com a ideia de ir a seu país de nascimento, a Argentina.

No dia 18 de dezembro, em um encontro no Vaticano com uma delegação do time de futebol para o qual torce, o San Lorenzo, Francisco comentou a possibilidade de viajar à Argentina em 2016 para participar do Congresso Eucarístico, que será realizado em Tucumán pelo Bicentenário da Declaração da Independência do país.

O arcebispo de Tucumán, monsenhor Alfredo Horacio Zecca, tinha enviado semanas antes ao papa, ex-arcebispo de Buenos Aires, uma carta o convidando formalmente para ir ao Congresso Eucarístico Nacional. EFE

mcs/id