Patriarca maronita viaja para Terra Santa, apesar de críticas do Hezbollah

  • Por Agencia EFE
  • 23/05/2014 07h55

Beirute, 23 mai (EFE).- O patriarca maronita (cristão do Oriente), Bechara Rai, viajou nesta sexta-feira à Jordânia em seu caminho para a Terra Santa, onde se encontrará com o papa Francisco, apesar das críticas do grupo xiita libanês Hezbollah.

Segundo a “Agência Nacional de Notícias” (“ANN”), o patriarca se deslocou em um avião particular desde o aeroporto internacional Rafik Hariri de Beirute à Jordânia e dali irá ao berço da cristandade.

Rai deve receber o papa Francisco, que amanhã iniciará sua primeira viagem à Terra Santa, percorrer Jerusalém e Belém, e se reunir com seus fiéis.

Esta visita é a primeira que um dignatário religioso libanês realiza a essa região desde a criação em 1948 do Estado de Israel.

O Líbano está tecnicamente em estado de guerra com Israel e considera que qualquer libanês que viaje para lá comete um ato de alta traição, por isso que deve ser julgado, embora os religiosos em missão estão autorizados a fazê-lo.

O Hezbollah e a coalizão pró-síria que lidera, as Forças do 8 de Março, já advertiram ao patriarca maronita sobre os “efeitos negativos” que poderia ter sua viagem e o qualificaram de “erro histórico que abre as portas para a normalização com Israel”.

Rai considera, por outro lado, que deve acolher pessoalmente o pontífice nesse território ao ser patriarca de Antioquia e de todo o Oriente.

Seu antecessor, Nasrallah Sfeir, tinha se desculpado ao papa João Paulo II por não acompanhá-lo durante sua visita a Israel e só se uniu à comitiva na Jordânia.

O papa Francisco começa amanhã sua viagem à Terra Santa, que termina em 26 de maio, no qual visitará Jordânia, Palestina e Israel, e que será fundamentalmente religioso, mas também terá um importante caráter diplomático. EFE