Pedófilos que abusaram de 5 meninas na Inglaterra pegam penas de até 20 anos

  • Por Agencia EFE
  • 20/02/2014 17h02

Londres, 20 fev (EFE).- Cinco integrantes de uma rede de pedofilia foram condenados nesta quinta-feira por um juiz britânico a penas de até 20 anos de prisão de pelo abuso sexual em 2013 de cinco meninas na cidade de Peterborough, no condado de Cambridgeshire (sudeste da Inglaterra).

O grupo de pedófilos, ciganos tchecos e eslovacos e de procedência curda, cujo integrante mais jovem tem 14 anos, cometeu durante o ano passado múltiplos delitos de estupro e prostituição infantil contra as menores, uma das quais sofre severos problemas de aprendizagem.

Segundo indicou nesta quinta-feira a promotoria durante a audiência realizada no tribunal penal de Old Bailey de Londres, se trata de “um dos piores casos de pedofilia” descobertos.

Os abusos foram revelados quando uma das meninas, conhecida durante o processo judicial como “vítima A”, contou a um assistente social o que tinha acontecido.

As cinco vítimas, duas das quais são de origem tcheca e eslovaca e as outras três inglesas, foram além disso forçadas a manter relações sexuais com homens em troca de dinheiro, que o grupo usava para comprar drogas e álcool.

Ao ler as sentenças, o magistrado determinou para o considerado líder do grupo, Zdeno Mirga, de 18 anos, e que engravidou uma das meninas, uma condenação de 16 anos e meio em um centro de detenção juvenil por oito delitos de estupro e um de incitação à prostituição infantil.

O traficante de drogas de origem curda-iraquiana Hassan Abdulla, de 33 anos, foi sentenciado a 20 anos de prisão por quatro acusações de estupro e três delitos de incitação a um menor a se envolver em atividade sexual.

Por sua vez, Renato Balog, de 18 anos, que ajudou Abdulla a vender drogas, cumprirá 12 anos em um centro de detenção de menores por cinco delitos de estupro e três de abusos sexuais, segundo a sentença.

Outro dos condenados, Jan Kandrac, de 17 anos, cumprirá uma pena de cinco anos e meio em um centro de detenção juvenil por um delito de estupro e dois de abuso sexual a um menor.

Já o integrante mais jovem dessa rede de pedófilos, um adolescente de 14 anos, que não pode ser identificado por motivos legais, foi condenado a seis meses em um centro de reabilitação juvenil por um delito de atividade sexual com um menor.

Segundo a promotoria, os delinquentes capturavam as meninas quando elas iam a um ponto de venda de frango frito na citada cidade de Peterborough, empregando táticas “sofisticadas” para atraí-las a parques e outras situações para abusar delas.

No caso da vítima com severas dificuldades de aprendizagem e um coeficiente intelectual muito baixo, o magistrado afirmou que foi repetidamente estuprada por homens e crianças que em algumas ocasiões faziam turnos para abusar dela como se se tratasse de uma “mercadoria sexual”. EFE