Pelo menos 26 mortos em combates entre jihadistas e curdos no norte da Síria

  • Por Agencia EFE
  • 26/01/2014 15h48

Cairo, 26 jan (EFE).- Pelo menos 26 combatentes morreram nos confrontos entre milicianos curdos e o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, vinculado à Al Qaeda, que acontecem desde ontem no norte da Síria, informou neste domingo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Só três das vítimas são curdas, as outras pertencem ao Estado Islâmico e seus grupos aliados.

Um dos extremistas mortos é um homem-bomba que ontem explodiu perto de um posto de controle dos curdos na população de Al Manayir.

O Observatório explicou em comunicado que os enfrentamentos eclodiram ontem, sábado, nos arredores da cidade de Ras Al Ain, na fronteira com a Turquia.

Junto ao Estado Islâmico do Iraque e do Levante lutam nessa região a Frente Al Nusra, também ligada a Al Qaeda, e outros grupos islamitas rebeldes, enquanto os combatentes rivais são membros das chamadas Unidades de Proteção do Povo Curdo.

Este último grupo é o braço armado do Partido da União Democrática (PYD), uma das principais formações políticas curdo-sírias, que pretende criar um Estado autônomo nas áreas de maioria curda do norte do país.

Jihadistas e curdos disputam o controle de povoações do norte do país e nos últimos meses tomaram mutuamente várias delas.

Os curdos são 9% da população da Síria, e vivem prinicipalmente em Al Hasaka e nas regiões de Afrin e Ain Al Arab, na província de Aleppo. EFE