Perda de casa própria cresce 247% em SP; mais de 14 mil imóveis foram retomados

  • Por Estadão Conteúdo
  • 28/01/2017 09h27

O certo desespero em levantar dinheiro para minimizar prejuízos leva estes detentores de unidades a reduzir o pedido pelos imóveis

Imóveis - Fotos Públicas

Pelo menos 14.184 imóveis foram retomados por bancos no Estado de São Paulo em 2016 devido à falta de pagamento de financiamentos. Esse montante representa crescimento de 247% ante 2015, quando 4.083 unidades foram tiradas dos mutuários. 

Do total de 14 mil imóveis retomados, entre 5 mil e 7 mil ficam na capital paulista.

Os dados foram apurados pela Associação dos Registradores Imobiliários (Arisp). O levantamento abrange 80% dos cartórios do Estado e considera só contratos com alienação fiduciária, que transferem o bem ao credor como garantia da dívida.

A proporção entre a quantidade de moradias retomadas e o total de intimações subiu de 5%, em 2015, para 14,3% em 2016. Esse patamar é o dobro da média dos últimos sete anos. “O índice de 14,3% é um salto frente a um histórico que já estava ruim. É um número que referenda o tamanho da nossa crise. Ele me surpreendeu um pouco, pois mostra que as pessoas não conseguem renegociar os pagamentos atrasados”, diz o assessor da presidência da Arisp, Paulo Leierer.

Para 2017, o assessor da Arisp não acredita em uma recuperação do mercado, por causa do desemprego. “A tendência é de continuidade. Não vemos mudança de cenário em 2017.”