PF resgata seis homens escravos em Mato Grosso

  • Por Estadão Conteúdo
  • 02/09/2016 12h07
Rio de Janeiro - A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram nesta manhã os trabalhos da 30ª fase da Operação Lava Jato, a operação Vício. Na foto carros da Polícia Federal chegam com malotes e computadores na sede da polícia, região portuária do Rio (Tânia Rêgo/Agência Brasil)Polícia Federal - AGBR

A Polícia Federal resgatou, nesta quarta-feira, 31, seis trabalhadores que eram mantidos em condições análogas à escravidão em uma fazenda no município de Tapurah, no Mato Grosso, distante 414 quilômetros da capital Cuiabá. Denúncias anônimas apontaram à Polícia Federal que os homens não possuíam carteira de trabalho assinada e eram obrigados a trabalhar diariamente entre 4 horas às 18 horas, durante todos os dias da semana, sem direito a folgas.

Além da jornada exaustiva, os trabalhadores eram sujeitos a condições degradantes de trabalho, dormindo em alojamentos de madeira e terra batida, local onde também era estocado combustível.

As informações ainda apontaram que os homens recebiam marmitas frequentemente com comida azeda, tendo que ser consumidas no meio da mata.

A Polícia Federal também identificou que não havia regularidade no pagamento dos salários e que os trabalhadores teriam recebido apenas R$ 200 nos últimos 40 dias trabalhados. Segundo eles, o empregador não pagava o valor devido como forma de obrigá-los a continuarem no serviço.

O proprietário da área e o responsável pela contratação foram identificados e poderão ser indiciados pelo crime de redução à condição análoga de escravo, com pena de reclusão de dois a oito anos. Além disso, a fazenda poderá ser expropriada.

Os trabalhadores foram levados a Tapurah e encaminhados ao advogado do empregador para a realização dos registros e acertos trabalhistas devidos.