PM é assassinado por madeireiros em operação do Ibama contra desmatamento

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/06/2016 10h54
Novo progresso PA

A Polícia Militar de Novo Progresso, no interior do Pará, com apoio de agentes e de um helicóptero do Ibama, realizou buscas, no passado domingo (19), na Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, onde o sargento João Luiz de Maria Pereira foi assassinado numa emboscada, na tarde da última sexta-feira (17), após a destruição de um acampamento ilegal de madeireiros dentro da unidade de conservação federal.

Pereira fazia parte do Grupamento Tático Operacional do Comando Regional da PM de Itaituba (PA). Até o fim da tarde de domingo, não havia informação sobre a prisão de suspeitos do crime. Esta segunda-feira (20), é esperada a chegada de um reforço de Belém, capital do estado. O homicídio será investigado pela Polícia Federal (PF). 

Pereira trabalhava com agentes do Ibama em uma operação de combate ao desmatamento ilegal na floresta, apoiada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará. A equipe foi cercada e atacada a tiros. Baleado no pescoço e no ombro, João Luiz foi socorrido, mas morreu cerca de 40 minutos depois.

Em depoimento à Policia Civil de Novo Progresso, integrantes da equipe relataram que o homicídio ocorreu por volta de 15h30, no entorno de uma estrada de terra conhecida como Vicinal da Francy, a cerca de 80 quilômetros da área urbana de Novo Progresso.

Garimpo

Agentes federais e estaduais estavam, desde a última quarta-feira (15), no interior da unidade de conseração. De acordo com o comando da polícia, no dia anterior à morte do sargento (16), a operação havia apreendido e destruído máquinas no garimpo e no acampamento dos madeireiros.

Uma retroescavadeira, avaliada em R$ 480 mil, foi incendiada, como determina a legislação quando não é possível transportar bens de envolvidos em crime ambiental.

No garimpo, foram destruídos equipamentos usados para extração de ouro. Seis suspeitos de crimes ambientais foram detidos. Foram apreendidas também armas e motosserras.

Em nota, o Ibama se solidarizou com a família do sargento, “o Ibama se une à família e aos amigos do sargento João Luiz, recebendo com dor a notícia esse crime brutal. Agradecemos muito sua contribuição na proteção da Amazônia”, disse a presidente do instituto, Suely Araújo.

Criada em 2006, a Floresta Nacional do Jamanxim possui 1,3 milhão de hectares, o equivalente a 1,3 milhão de campos de futebol. Localizada no eixo da BR-163, que corta todo o Estado do Pará, a região é uma das áreas mais críticas do desmatamento na Amazônia Legal.