Polícia busca por responsáveis por queimar ônibus em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2014 13h12

A polícia prossegue na caça de pelo menos cinco integrantes da quadrilha que queimou 34 ônibus da Viação Urubupungá, em Osasco. Já está preso Edilson Almeida Silva, de 19 anos, que, movido pela vingança, segundo a polícia, chefiou a ação que deu prejuízo de R$ 10 milhões.

Um pistoleiro não identificado matou o irmão gêmeo dele, o traficante Edenilson Almeida Silva,  na segunda-feira passada, com 24 tiros. O delegado seccional de Osasco, Paulo Afonso Tucci, descartou qualquer tipo de dúvida a respeito da participação de Edilson no incêndio de Osasco.

*Ouça os detalhes no áudio

O delegado geral da Polícia descartou a ação de facções criminosas no incêndio, mas citou o cuidado com o efeito cascata dessa ação. Respondendo a André Aguiar, Maurício Blazek salientou que Edilson Almeida Silva foi reconhecido e vai responder como mandante e co-autor:

Gerente da Viação Urubupungá pede paz para trabalhar e contabiliza mais de 100 ônibus incendiados nos últimos oito anos. Em entrevista a Renata Perobelli, Miguel Albuquerque acrescenta que as ações de bandidos na Grande São Paulo também é intranquilizadora:

Os funcionários da Urubupungá não escondem o medo de novos ataques de bandidos às instalações da empresa na região de Osasco. Alguns deles correram grave risco de vida porque foram obrigados a jogar gasolina e atear fogo no interior dos ônibus.