Polícia investiga morte de tradutor da OMS; companheiro relata última semana

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2015 08h24

Policiais militares fazem plantão em frente ao prédio à espera de peritos. Não há informações sobre a causa da morte.

Policiais militares fazem plantão em frente ao prédio à espera de peritos. Não há informações sobre a causa da morte.

A polícia ainda investiga as causas da morte do tradutor da Organização Mundial da Saude (OMS) Aguinaldo Jesuíno, de 49 anos.

O corpo dele foi encontrado em um edifício residencial na Avenida Paulista, região central de São Paulo, nesta quinta-feira.

O companheiro dele, o americano Kraig Klaudt, disse à polícia que encontrou Aguinaldo morto, no apartamento onde moram, no décimo andar do Edifício Saint Honorê.

Segundo relato do consultor da OMS, o casal esteve um bar em Pinheiros, zona oeste de São Paulo no último fim de semana. No local, eles teriam ingerido alguma substância que fizeram ambos perderem a consciência.

Em depoimento, o americano disse que acordou sozinho, durante a madrugada, em uma rua próxima, enquanto Aguinaldo só voltou para casa quarenta e oito horas depois, na madruga de terça-feira.

De acordo com o companheiro, o tradutor da OMS disse ter sido agredido, levado à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, medicado e liberado.
Após isso, ele vinha reclamando de dores e apresentava dificuldade para respirar.

Na madrugada de quinta, o consultor alegou que dormiu na sala por causa dos forte ronco do companheiro.

Ao acordar, o americano entrou no quarto e viu Aguinaldo já morto, ajoelhado com os braços em um sofá.

A morte foi comunicada à polícia por volta das 15h e a perícia só chegou ao local por volta das 20h.

O caso foi registrado como homicídio na delegacia dos Jardins e será investigado pelo DHPP.

Informações do repórter JP Gabriel Medina