Polícia realiza reconstituição da morte de menino após confusão no Habib’s

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2017 13h17
Reprodução/Globo NewsPolícia faz reconstituição da morte de menino após confusão no Habib's

A Polícia Civil de São Paulo começou na manhã desta terça-feira (25) a realizar a reconstituição do caso do adolescente que morreu no dia 26 de fevereiro após uma confusão em frente a uma unidade do Habib’s, na zona norte de São Paulo. A confusão foi, inclusive, com funcionários da rede de fast food.

Os peritos irão reproduzir duas versões, a de uma testemunha que disse ter visto o menino João Victor Souza, de 13 anos, ser agredido e morto e a dos funcionários, que afirmam que o adolescente saiu correndo e sofreu um infarto.

A reconstituição teve início por volta das 11h e não há horário para o término. A reprodução do caso está sendo feita no local onde João Victor morreu: em frente a unidade do Habib’s na Avenida Itaberaba, na Vila Nova Cachoeirinha.

Tudo está sendo fotografado e será reunido em um laudo que ficará anexado ao inquérito.

No último dia 12, o Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo confirmou o laudo inicial da morte de João Victor de Souza Carvalho, de 13 anos. O exame diz que ele morreu “por origem cardíaca com o abuso crônico de drogas”.

A família e testemunhas culpam dois funcionários da rede de restaurantes, que são vistos em imagens de câmera de segurança arrastando e abandonando o corpo do adolescente na calçada. Decisão da Justiça determinou a exumação do corpo para que fosse feito o novo laudo.

O exame diz ainda que não foram encontradas lesões traumáticas como responsáveis pela morte e que foram feitos exames de tomografia computadorizada.

As câmeras de segurança registraram o momento em que dois funcionários do Habib’s correram atrás do adolescente após ele ameaçar atirar um pedaço de pau no estabelecimento.

Os funcionários saem da imagem e quando voltam já estão arrastando o menino, que está, aparentemente, desacordado. Eles o deixam na calçada ao lado do Habib’s.

Os dois empregados da rede de fast food negam que tenham agredido João Victor e afirmam que um cliente não identificado foi quem machucou o adolescente.

O Habib’s afastou os dois funcionários envolvidos até que a polícia esclareça o caso.