Polícia tunisiana detém 20 suspeitos durante festa do Eid al-Adha

  • Por Agencia EFE
  • 25/09/2015 14h41

Túnis, 25 set (EFE).- Unidades da Polícia tunisiana capturaram nas últimas horas 20 suspeitos de vínculos com grupos jihadistas e com máfias de contrabando na região meridional de Medenine, informou nesta sexta-feira a imprensa local.

As detenções ocorreram entre quarta-feira e quinta-feira, em plena festa de Sacrifício ou “Aid” nas cidades de Medenine, Zarzis, Ben Guerdan e a ilha de Jerba, todas elas na fronteira com a Líbia.

Durante a operação, destinada a evitar atentados jihadistas como os que em março e junho tiraram a vida de 60 turistas estrangeiros em um hotel da cidade litorânea de Sousse e em um museu da capital, também foram neutralizados sete carros nos quais circulavam imigrantes ilegais.

A Tunísia único país da chamada “primavera árabe” que concluiu uma transição política, enfrenta um período de instabilidade devido à crise econômica e o violento foco do jihadismo.

Desde que em 2011 triunfou a revolta contra a ditadura de Zinedin el Abedin Bin Ali, radicais do grupo salafista “Ansar al Sharia” combatem as forças de Segurança nas montanhas de Kasserine, fronteiriças com a Argélia.

Sua atividade foi reforçada pela guerra civil que atinge a Líbia, país no qual se assentaram centenas de tunisianos seguidores de “Ansar al Sharia” que retornaram de combates na Síria e Iraque nas fileiras do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Com cerca de 3 mil voluntários, segundo números oficiais, mais de 5 mil segundo especialistas independentes, os tunisianos constituem a primeira nacionalidade de combatentes estrangeiros às ordens do autoproclamado califa. EFE