‘Revogação do lockdown causou prejuízo incalculável’, diz deputado; veja como foi

Senadores questionaram por que governador do Amazonas não foi indiciado e criticaram relevância do depoimento desta terça-feira, 29

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2021 09h46 - Atualizado em 29/06/2021 16h58
Edilson Rodrigues/Agência SenadoRelator da CPI da Saúde do Amazonas depôs nesta terça-feira, 29, na CPI da Covid-19 do Senado Federal

A CPI da Covid-19 ouviu, nesta terça-feira, 29, o deputado estadual do Amazonas Fausto Vieira dos Santos Junior (MDB), relator da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). A oitiva do deputado atendeu a um pedido do senador Marcos Rogério (DEM-RO), integrante da tropa de choque governista na comissão. A sessão de hoje foi marcada por questionamentos sobre a relevância do depoimento do parlamentar, uma vez que a comissão estadual foi encerrada em setembro do ano passado e a crise do oxigênio que atingiu a cidade de Manaus ocorreu a partir de janeiro deste ano. Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse que a oitiva “de nada contribuiu para os trabalhos” da investigação do Legislativo federal. Além disso, o deputado estadual foi questionado, em mais de uma ocasião, por que a Aleam não colheu o depoimento e indiciou o governador Wilson Lima. À senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), Junior disse que a Constituição estadual não permitia convocar o gestor estadual. Depois, pontuou que se tratava de uma “interpretação extensiva” do texto constitucional. Em uma terceira versão,  pontuou que o impedimento estava previsto em uma “súmula” Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Veja como foi a cobertura da Jovem Pan: 

15:44 – Sessão é encerrada

Omar Aziz (PSD-AM), encerra a sessão da CPI da Covid-19.

15:40 – Deputado diz que ‘questão técnica’ impediu convocação do governador

Relator da CPI da Saúde do Amazonas, o deputado estadual Fausto Vieira (MDB) disse que não pôde convocar o governador do Estado, Wilson Lima, por uma “questão técnica”. Inicialmente, ele afirmou que a Constituição estadual não permite. Depois, pontuou que se tratava de uma “interpretação extensiva” do texto. Em uma terceira versão apresentada à senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) em razão de uma “súmula do STJ [Superior Tribunal de Justiça]”.

15:00 – ‘Depoimento de hoje de nada contribuiu para os trabalhos dessa CPI’, diz líder do governo 

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo no Senado, disse que o depoimento desta terça-feira, 29, “de nada contribuiu para os trabalhos dessa CPI”. O deputado estadual Fausto Vieira foi relator da CPI da Saúde do Amazonas, mas as investigações foram encerradas em setembro, meses antes da crise de oxigênio que atingiu a cidade de Manaus, um dos objetos da apuração do Senado.

14:23 – Aziz acusa depoente de cometer crime de perjúrio 

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), questionou se o deputado Fausto Vieira reconhecia dois terrenos que estão no nome de Iara Lins dos Santos, mãe do depoente. Diante da negativa, Aziz acusou o parlamentar do Estado do Amazonas de cometer o crime de perjúrio, ou seja, mentir sobre juramento – mais cedo, ele disse que não sabia o nome do proprietário do imóvel. Segundo o senador, os terrenos estão sendo usados para a construção de casas por parte de Iara, conselheira do Tribunal de Contas do Estado, o que, para Aziz, é sinal de riqueza inadequada, se considerado o salário da servidora.

14:09 – ‘É uma decepção para o Estado do Amazonas um político que preferem proteger o poder do que ficar do lado do povo’, diz senador

O senador Rogério Carvalho (PT-SE), suplente da CPI da Covid-19, foi mais um integrante da comissão a criticar a decisão do deputado estadual Fausto Vieira (MDB) de não indiciar o governador do Amazonas, Wilson Lima. “É uma decepcção para o Estado do Amazonas políticos que preferem proteger o poder do que ficar do lado do povo”, disse Carvalho. “Como relator, o senhor foi negligente ao não indiciar o governador”, acrescentou. O petista pontuou que o deputado do MDB poderia ter incluído o nome de Lima no relatório e ser derrotado na votação. Para Rogério Carvalho, o gestor foi “cabeça e responsável pelo o que ocorreu no Amazonas”.

13:43 – Deputado diz que soube sobre falta de oxigênio pelos trabalhos da CPI da Covid-19 

O deputado Fausto Vieira disse que soube pela CPI da Covid-19 dos alertas feitos pela White Martins sobre o risco de escassez de oxigênio em Manaus. Segundo o parlamentar, que relatou a CPI da Saúde no Amazonas, não havia indícios de desabastecimento.

13:35 – ‘Revogação do decreto de lockdown causou prejuízo incalculável’, diz deputado 

O deputado estadual Fausto Vieira (MDB) voltou a dizer que o Legislativo não foi consultado pelo governador, Wilson Lima, antes da revogação do decreto de lockdown, editado para conter a circulação do coronavírus no momento de iminência da segunda onda da epidemia. Dias depois da decisão do gestor estadual, eclodiu a crise do oxigênio em Manaus. Para o parlamentar, “houve prejuízo incalculável”.

12:52 – Após fala de Omar Aziz, deputado diz: ‘Estou sendo meramente atacado’

Depois de o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid-19, dizer que mostraria porque o governador Wilson Lima, não foi indiciado pela CPI da Saúde do Amazonas, o deputado estadual Fausto Vieira disse que está sendo “meramente atacado”. Ele também afirmou que sua mãe, conselheira do Tribunal de Contas do Estado é “uma mulher honrada” e “funcionária de carreira”.

12:40 – Omar Aziz: ‘Vou mostrar porque ele não indiciou o governador do Amazonas’ 

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid-19, fez uma série de perguntas ao deputado estadual Fausto Vieira. Ele disse que iria mostrar aos amazonenses porque o relator da comissão da Saúde do Amazonas não indiciou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC). Mais cedo, Vieira disse ter convicções de que o gestor estadual sabia das irregularidades. Segundo Aziz, a CPI do Senado vai investigar o deputado estadual, quebrará o sigilo de uma conselheira do Tribunal de Contas do Amazonas e de empresas que receberam mais de R$ 500 milhões do governo do Estado. O presidente da comissão também afirmou que Lima não foi indiciado por “corrupção, advocacia administrativa e benefícios [compra de imóveis de luxo]”.

12:13 – Fausto Vieira: Wilson Lima sabia das irregularidades, mas CPI do Amazonas não tinha provas

Respondendo a perguntas feitas pelo senador Humberto Costa (PT-PE), o deputado estadual Fausto Vieira (MDB) disse ter convicção de que o governador Wilson Lima (PSC) sabia das irregularidades que ocorriam no Estado, mas ressaltou que a CPI da Saúde da Assembleia Legislativa não tinha provas para indiciá-lo.

11:53 – Senador lista irregularidades apontadas em investigação e diz: ‘Está provada a incompetência do governo do Amazonas’

O senador Eduardo Braga (MDB-AM), que já foi governador do Amazonas, listou uma série de irregularidades apontadas pela CPI da Saúde do Estado, relatada pelo deputado estadual Fausto Vieira (MDB), e disse: “Está provada a incompetência e desvios no governo do estado”.

11:20 – Covaxin volta a ser assunto na CPI da Covid-19 

O processo de aquisição da Covaxin volta a ser assunto na CPI da Covid-19. O relator, Renan Calheiros (MDB-AL), disse que o presidente Jair Bolsonaro não apenas sabia, como participou do processo denunciado pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que denunciou supostas irregularidades na compra do imunizante indiano. A declaração foi dada após o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), apresentar questão de ordem questionando a notícia-crime apresentada, na segunda-feira, 28, pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Jorge Kajuru (Podemos-GO) e Fabiano Contarato (Rede-ES), por suposto crime de prevaricação cometido por Bolsonaro.

10:48 – ‘Não pedi o indiciamento de Wilson Lima’, diz relator da CPI do Amazonas

Depois de muita insistência, o deputado Fausto Vieira (MDB) disse ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Covid-19, que não pediu o indiciamento do governador Wilson Lima (PSC). “Não, não pedi”, afirmou.

10:41 – Renan questiona sobre crise de oxigênio e relator diz que relatório já havia sido apresentado

Em mais de uma ocasião, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) perguntou ao deputado estadual Fausto Vieira sobre a crise do oxigênio que atingiu o Amazonas em janeiro de 2021. Ocorre que a CPI da Saúde do Estado foi finalizada em setembro de 2020. Agora, os senadores questionam por que o governador Wilson Lima (PSC) não foi indiciado pela comissão estadual.

10:25 – ‘Assembleia Legislativa não foi consultada sobre revogação de decreto de lockdown’, diz Fausto

Relator da CPI da Saúde do Amazonas, Fausto Vieira disse que a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) não foi consultada pelo governador Wilson Lima (PSC) sobre a revogação do decreto de lockdown editado para conter a circulação da Covid-19. Dias depois da decisão, o Estado viu o número de casos e óbitos aumentar exponencialmente. “O Legislativo não foi consultado. Essa foi uma decisão estritamente do governo do estado. É importante frisar que havia uma negação da urgência dos casos da pandemia naquele momento e o povo foi pego de surpresa. Isso que motivou a irritação das pessoas”, disse.

10:18 – Fausto Vieira: ‘Era uma tragédia anunciada’ 

O relator da CPI da Saúde do Amazonas, Fausto Vieira Junior disse que a “fragilidade” do sistema de Saúde do Amazonas “era muito clara”. “Já tínhamos um sistema a beira do colapso. Como receberíamos a pandemia com um sistema tão frágil? Era uma tragédia anunciada”, afirmou.

10:05 – ‘Saúde pública do Amazonas era bomba relógio e pandemia foi estopim’ 

Fausto Vieira (MDB) disse, em sua fala inicial, que a saúde pública do Amazonas era “uma bomba relógio” e que a pandemia foi o estopim para a crise que atingiu o Estado nos últimos meses.

10:00 – Fausto Vieira inicia sua exposição 

Relator da CPI da Saúde do Amazonas, Fausto Vieira inicia sua fala inicial. Ele terá até 15 minutos para se manifestar, antes do início dos questionamentos do senador Renan Calheiros (MDB-AL).

09:46 – Omar Aziz inicia a sessão 

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), abriu os trabalhos desta terça-feira, 29. Os requerimentos, que estavam na pauta da sessão de hoje, serão analisados na quarta-feira, 30.