AO VIVO: CPI da Covid-19 ouve suposto diretor da Precisa Medicamentos; siga

Senadores suspeitam que Danilo Trento seja um sócio oculto da empresa criada por Francisco Maximiano; comissão mira rede de lavagem de dinheiro

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2021 10h22
Reprodução/Redes SociaisApontado como diretor institucional da Precisa, Danilo Trento será ouvido na quinta-feira, 23, pela CPI da Covid-19

A CPI da Covid-19 ouve, nesta quinta-feira, 23, o empresário Danilo Trento, sócio da Primarcial Holding e Participações e apontado como diretor de relações institucionais da Precisa Medicamentos. A empresa intermediou a negociação feita pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para a aquisição de 20 milhões de doses da vacina Covaxin. A União rescindiu o contrato após a comissão levantar uma série de irregularidades no processo de compra do imunizante indiano. Os senadores querem esclarecer qual o seu vínculo com Francisco Maximiano, dono da companhia – em sua oitiva, o lobista Marconny Albernaz de Faria disse que Trento foi apresentado a ele como um dos donos da empresa, informação até então inédita para os membros do colegiado. O depoente chega ao Senado amparado por um habeas corpus concedido pelo ministro Luis Roberto Barroso.

“Estaremos diante do chefe da lavanderia do dinheiro da Precisa. Através da empresa dele circulam muitos recursos que vão para outras empresas, que mandam para terceiras. Chamo a atenção para duas delas: a Barão Turismo e a Elite. Nas conexões com a Elite, encontramos lavagem de dinheiro através de panificadores e que chega até uma empresa investigada pela PF por tráfico de drogas. Nos chamou muita atenção o caminho do dinheiro em uma determinada aquisição feita por essas empresas para a compra de joias, de rolex, em duas joalheiras, em São Paulo e Curitiba. Nesta joalheria de Curitiba, esperamos, até o final da inquirição de hoje, ter a resposta sobre por que foi comprada uma joia através de uma empresa de investimento e participações em uma empresa farmacêutica e para quem foi comprado. Encontramos um bom fio da meada do ‘siga o dinheiro'”, disse a jornalistas o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI. “Para nós, já é o bastante os RIFs [Relatórios de Inteligência Financeira], os sigilos fiscais e bancários que temos. Isso já é muito importante. Ele vai se dar mal. A melhor forma de não se dar mal é entregar, por exemplo, para quem ia o rolex comprado em Curitiba. Se encontrarmos isso, aí teremos a perícia final do verdadeiro responsável por tudo isso. Não tem como esse rapaz não ser responsabilizado criminalmente. A melhor coisa que tem a fazer é colaborador, é delatar”, seguiu.

Como a Jovem Pan mostrou, Trento virou uma espécie de personagem chave do colegiado. Os parlamentares suspeitam que haja uma rede de quase 20 empresas, ligadas à Precisa Medicamentos, envolvidas em um esquema de lavagem de dinheiro. Duas delas chamam a atenção dos membros da comissão: a Barão Turismo e a Itapemirim Importação. A primeira executou voos de funcionários da Precisa para a Índia e, segundo informações em posse da CPI, recebeu aproximadamente R$ 4 milhões em um ano. A segunda, por sua vez, surgiu como uma videolocadora com sede no Estado de São Paulo e se transformou em uma companhia de importação e exportação na cidade de Ji Paraná, em Rondônia. Acompanhe a sessão ao vivo: