Bolsonaro recebe apoio na Marcha para Jesus e diz que tem ‘exército de 200 milhões de pessoas’

Presidente participou de evento religioso, ouviu aplausos e gritos de mito dos cerca de 50 mil presentes e, sem entrar em detalhes, declarou que ‘tomará as decisões que devem ser tomadas’

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2022 12h57 - Atualizado em 25/06/2022 13h12
Fernando Ribeiro/Futura Press/Estadão Conteúdo Bolsonaro no meio de apoiadores em praia de Balneário Camboriú O presidente Jair Bolsonaro participa da Marcha para Jesus em Balneário Camboriú

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou neste sábado, 25, da Marcha para Jesus em Balneário Camboriú, no litoral norte de Santa Catarina, e foi saudado pelos quase 50 mil presentes. “Não podemos admitir que fiquemos calados enquanto fazem algo de mal para os outros. Sempre tenho falado das quatro linhas da Constituição. Tenho certeza que, se preciso for — e cada vez mais parece que será preciso —, nós tomaremos as decisões que devem ser tomadas”, bradou Bolsonaro, efusivamente, recebendo aplausos em resposta. “Cada vez mais eu tenho um exército que se aproxima dos 200 milhões de pessoas nos quatro cantos desse Brasil.”

“Não podemos esperar chegar 2023 ou 2024 e olhar para trás. Temos de nos perguntar: o que não fizemos para chegarmos a essa situação difícil de hoje em dia? Nós somos a maioria. A democracia são vocês. O maior pecado que podemos cometer é o da omissão. Não podemos aceitar passivamente aqueles que querem impor as suas vontades sobre nós”, seguiu o presidente. O pré-candidato à reeleição ainda disse que “o Brasil é um país cristão”, voltou a criticar “medidas tomadas lá atrás” durante a pandemia — uma referência às medidas restritivas tomadas por prefeitos e governadores — e enfatizou a “briga do bem contra o mal”. “Minha chegada à Brasília tirou da zona de conforto quem queria o mal do nosso país. Eles se uniram. Solapam a nossa democracia. Nos acusam do que verdadeiramente são. Se julgam os donos da verdade. Acham que pode tudo, até mesmo nos escravizar.”  Gritos de “mito” foram entoados a todo o momento.

Bolsonaro discursou ao lado de Michelle, sua esposa. Aliados celebraram o apoio demonstrado na Marcha para Jesus e questionaram as pesquisas que mostram o petista Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro lugar. “O povo de Deus orando por Bolsonaro. Alguma vez você já viu a autoridade máxima num evento religioso como esse? Que as benções caiam sobre o nosso presidente”, declarou o empresário Luciano Hang, que participou da marcha. “Bolsonaro é ‘vaiado’ em Camboriú aos gritos de mito”, ironizou o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho do presidente. “DataFolha 28%? Pode confiar”, debochou. 

Veja vídeos da Marcha para Jesus: