Em respeito a Celso de Mello, sabatina de Kassio Nunes não acontecerá antes do dia 13, garante Tebet

No entanto, na prática, caberá ao presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, dar o pontapé inicial para a apreciação

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 11h36 - Atualizado em 02/10/2020 11h37
Fátima Meira/Estadão ConteúdoO colegiado só vai realizar a sabatina do indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) após o dia 13 de outubro, quando o ministro Celso de Mello se aposenta

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), afirmou que o colegiado só vai realizar a sabatina do indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF) após o dia 13 de outubro, quando o ministro Celso de Mello se aposenta. A afirmação da senadora acontece após o presidente Jair Bolsonaro indicar o desembargador Kassio Nunes Marques para a vaga do decano no Supremo e formalizar a escolha em publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 2. Embora já escolhido, Marques precisa ser sabatinado na CCJ da Casa e ser aprovado pelos senadores em uma votação secreta e presencial na comissão e depois no plenário.

“Esclareço ainda: em respeito ao Senhor Ministro Celso de Mello, não realizaremos a referida sabatina antes do dia 13. E, como presidente da CCJ, a escolha do relator somente ocorrerá, após recebimento oficial da mensagem”, afirmou Simone Tebet em comunicado. A tramitação da indicação depende de um ato da Mesa Diretora da Casa. Na prática, caberá ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), dar o pontapé inicial para a apreciação. Vamos aguardar o despacho da Mesa Diretora e, em função da pandemia, a data dependerá de acordo com os líderes partidários, por se tratar de votação secreta e presencial”, afirmou a presidente da CCJ, na nota.

*Com Estadão Conteúdo